Sardinhas inteiras, salgadas e prensadas: condições higiênico-sanitárias, estado de conservação e valor nutritivo
pdf

Palavras-chave

sardinha (Sardinella aurita) inteira, salgada e prensada, controle de qualidade

Como Citar

1.
Silveira NVV, Zamboni C de Q, Jakabi M, Anraku TY. Sardinhas inteiras, salgadas e prensadas: condições higiênico-sanitárias, estado de conservação e valor nutritivo. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 30º de dezembro de 1986 [citado 17º de julho de 2024];46(1-2):111-6. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/36876

Resumo

Foram analisadas 62 amostras de sardinhas inteiras, salgadas e prensadas, coleta das e industrializadas nos Estados de São Paulo, Rio de .Janeiro, Santa Catarina e Paraná. Para a verificação das condições higiênico-sanitárias e do estado de conservação do produto final, foram efetuadas análises microbiológica, microseôpíca e química. A avaliação do valor nutritivo das sardinhas foi efetuada através da determinação de sua composição centesimal. O exame microbiológico demonstrou que 96,77% das amostras analisadas estavam satisfatórias para o consumo, e somente 3,23% apresentavam leveduras acima do limite, permitido pela legislação brasileira. Não foram encontrados insetos, ovos ou larvas de insetos, ácaros e nematóides. Os resultados das reações de Êber, para amoníaco, e de gás sulfídrico executadas nestas amostras coincidiram com os dos exames microbiológicos. Com base neste estudo, os autores sugerem revisão na legislação brasileira vigente referente a este tipo de alimento.

https://doi.org/10.53393/rial.1986.46.36876
pdf

Referências

1. AMERICAN PUBLIC ASSOCIATION. Intersociety /Agency Committee on Microbiologícal Methods for Foods - Compendium of methods for the microbiological examination of [oods, edited by Marvin L. Speck. Washington, APHA, c1976. p. 107, 225, 387, 417, 437.

2. BOTELHO, A.T. & NORT, E. - Pescado salgado no Brasil. Rio de Janeiro, PNUD/FAO/MINISTÉRIO DA AGRICULTURA/ SUDEPE, 1974. 40 p. (Sér. doe. técn. nº 6).

3. BRASIL. Leis, decretos etc. - Decreto n º 12.486, de 20 de outubro de 1978. Diário Oficial, São Paulo, 21 out. 1978. p. 6. (NTA 10). Aprova Normas Técnicas Especiais Relativas a Alimentos e Bebidas.

4. BRASIL. Leis, decretos etc. - Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (aprovado pelo Decreto 30.691, de 28-3-52, alterado pelo Decreto nº 1.255, de 25-6-62). Brasília, Ministério da Agricultura, 1980. p. 78.

5. CONFÉDÉRATION DES INDUSTRIES DE TRAITMENT DES PRODUITS DES PÊCHES MARITIMES - Normes de fabricacion, SUtVt8S des status de Ia confédération, et textes régulamentaires la concernant. Teme ed. Paris, 1968. p. 104.

6. COSTA, A.R. - Fungos em alimentos. In: LACAZ, C.S.; MINAMI, P.S. & PURCHIO, A. - O grande mundo dos fungos. São Paulo, EDUSP/Polígono, 1970. p. 174.

7. JAY, J.M. - Modern food microbiology. New York, Van Nostrand, c1979. p. 171.

8. KIETZMANN, U.; PRIEBE, K.; RAKOW, D. & REICHSTEIN, K. - Inspeccion veterinaria de peecados, Manual para Ia inspección de pecee, crustáceos y molu.çC08 como alimento. Trad. del alemán por Carlos Bernaldo de Quirós y Fernandez. Zaragoza, Acribia, 1974. 307 p.

9, LOPEZ-MATAS, A. - Enlatado, curado y otros metodos de preservación de pescado y elaboración de subprodutos. Chile, F AO, 1952. p. 112.

10. MONTES, A.L. - Bromatologia. 2.B ed. Buenos Aires, Edit. Universitária de Buenos Aires, 1981. Tomo III, p. 64.

11. MORETTO, E. & ALVES, R.F. - Manual de controle de qualidade para indústrias de pescados e derivados. [Florianópolis] BROMASC, 1986. p. 55.

12. PESSOA, G.V.A. & SILVA, E.A.M. - Meios de Rugai e lisina-motilidade combinados em um só tubo para a identificação presuntíva de enterobactérias. Rev. Inst. Adolfo Lutz, 32 :97-100, 1972.

13. SÃO PAULO. Instituto Adolfo Lutz Normas analíticas do Instiiuto Adolfo Lutz. v. 1: Métodos químicos e físicos
para aruilise de alimentos. São Paulo, 1985. p. 14, 15, 44, 274.

14. SCHMIDT-HEBBEL, H.; AVERDA&O, V.S.; PENHACCHIOTTI, M.I.; MASSON, S. L.; WITTING DE PENHA, E. & AMADOR!, M.E. - Avances en ciencia tecnologia de 108 alimentos. Edicion atualizada e ampliada. Santiago, Alfabeta (1981). p. 120.

15. SOUDAN, M. - Rêglements sanitaires relatifs au poisson salé, prescriptions de base, possibili tés d'harmonisa tion. In: ORGANISATION DE COOPERATION ET DÉVELOPMENT ÉCONOMIQUES - Reglements sanitaires pour le poisson et les produits de Ia pêehe, Paris, OCDE, 1961. p. 144-7 (OCDE doe. 51).

16. TANIKAWA, E. - Marine produete in Japan. Size, technology and research, Tokyo, Koseisha-Koseikaku, 1971. p. 300.

17. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Depto. de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Centro de Ciências Agrárias - Salga de sardinha em salmoura. Estudo comparativo. [Florianópolis] SUDEPE/UFSC, 1979. p. 142.
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1986 Neusa Vitória Valério Silveira, Claydes de Quadros Zamboni, Miyoko Jakabi, Thereza Yalue Anraku

Downloads

Não há dados estatísticos.