Associação entre estado nutricional, indicadores socioeconômicos e quesito raça/cor em gestantes do Recôncavo da Bahia, Brasil
PDF

Palavras-chave

Gestantes
Estado Nutricional
Insegurança Alimentar

Como Citar

1.
Oliveira LF de, Oliveira CA, Santana J da M, Campos R de O. Associação entre estado nutricional, indicadores socioeconômicos e quesito raça/cor em gestantes do Recôncavo da Bahia, Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 12º de dezembro de 2023 [citado 18º de abril de 2024];82:1-18,e39114. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/39114

Resumo

O estado nutricional gestacional adequado constitui-se como elemento essencial para a saúde materna e fetal. Este estudo teve como objetivo identificar a associação entre determinantes sociais, quesito raça/cor e estado nutricional, em gestantes do Recôncavo da Bahia, Brasil. Trata-se de um estudo ecológico, com dados extraídos do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional no ano de 2020, referente ao estado nutricional de gestantes adultas e adolescentes dos 19 municípios do Recôncavo da Bahia. Foi utilizada a regressão quantílica para a análise do desfecho do estado nutricional de gestantes, variável exposição principal, raça/cor autorreferida e covariáveis Coeficiente de Gini (CG) e Índice de Desenvolvimento Humano (IDHM). Foram acompanhadas 4.061 gestantes (14,35% eram adolescentes) com predominância daquelas que se autodeclararam pretas ou pardas (62,34%). Houve prevalência de excesso de peso em 53,36% das gestantes. Identificou-se associação positiva do excesso de peso com a raça/cor preta ou parda e inversamente ao CG. Este estudo revelou que o estado nutricional de gestantes é influenciado pela raça/cor preta e/ou parda e pelo CG. Tais resultados podem contribuir para o planejamento de programas e/ou projetos que incluam ações de alimentação e nutrição e visam o acompanhamento nutricional de gestantes, principalmente dos grupos socialmente vulnerabilizados.

https://doi.org/10.53393/rial.2023.82.39114
PDF

Referências

1. Institute of Medicine (US). National Research Concil (US) Committee to Reexamine IOM Pregnancy Weight Guideklines. Weight gain during pregnancy: Reexamining the guidelines. Rasmussen KM, Yaktine AL, editors. Washington (DC): National Academies Press (US); 2009. PMID: 20669500. https://doi.org/10.17226/12584

2. LifeCycle Project-Maternal Obesity and Childhood Outcomes Study Group. Association of gestational weight gain with adverse maternal and infant outcomes. JAMA. 2019;321(17):1702 15. https://doi.org/10.1001/jama.2019.3820

3. Alves ICR, Souza TF, Leite MTS, Pinho L. Limites e possibilidades do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional na Atenção Primária à Saúde: relatos de profissionais de enfermagem. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2018;13(1):69-81. https://doi.org/10.12957/demetra.2018.31077

4. Lisboa CS, Bittencourt LJ, Santana JM, Santos DB. Assistência nutricional no pré-natal de mulheres atendidas em unidades de saúde da família de um município do Recôncavo da Bahia: um estudo de coorte. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2017;12(3):713-31. https://doi.org/10.12957/demetra.2017.28439

5. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Marco de referência da vigilância alimentar e nutricional na atenção básica. Brasília (DF); 2015. [acesso 2021 Mai 15]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/marco_referencia_vigilancia_alimentar.pdf

6. Santos LAV, Lara MO, Lima RCR, Rocha AF, Rocha MR, Gloria JCR et al. História gestacional e características da assistência pré-natal de puérperas adolescentes e adultas em uma maternidade do interior de Minas Gerais, Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2018;23(2):617-25. https://doi.org/10.1590/1413-81232018232.10962016

7. Gomes CB, Vasconcelos LG, Cintra RMGC, Dias LCGD, Carvalhaes MABL. Hábitos alimentares das gestantes brasileiras: revisão integrativa da literatura. Ciênc Saúde Colet. 2019;24(6):2293-306. https://doi.org/10.1590/1413-81232018246.14702017

8. Lucindo ALMMM, Souza GS. A nutrição materna como ponto chave na prevenção de doenças e no desenvolvimento fetal. BJHR. 2021;4(2):5489-97. https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-119

9. Silva Júnior AE, Macena ML, Vasconcelos LGL, Almeida NB, Praxedes DRS, Pureza IROM et al. Tendência do estado nutricional de gestantes adolescentes beneficiárias do programa de transferência condicionada de renda brasileiro Bolsa Família no período 2008-2018. Ciênc Saúde Colet. 2021;26(7):2613-24. https://doi.org/10.1590/1413-81232021267.08172021

10. Farias DR, Carrilho TRB, Freitas-Costa NC, Batalha MA, Gonzalez M, Kac G. Maternal mental health and gestational weight gain in a Brazilian Cohort. Sci Rep. 2021;11:10787. https://doi.org/10.1038/s41598-021-90179-6

11. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília (DF); 2013. [acesso 2021 Mai 26]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_alimentacao_nutricao.pdf

12. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Orientações para a coleta e análise de dados antropométricos em serviços de saúde: Norma Técnica do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional – SISVAN. [acesso 2021 Mai 15]. Brasília (DF); 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/orientacoes_coleta_analise_dados_antropometricos.pdf

13. Batista MAL. Desigualdades assistenciais sob o enfoque étnico-racial e suas repercussões à saúde da mulher. BJHR. 2021;4(2):4922-36. https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-075

14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: síntese de indicadores 2013. [acesso 2021 Out 21]. Rio de Janeiro: IBGE 2015. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94414.pdf

15. Fernandes RC, Manera F, Boing L, Hofelmann DA. Desigualdades socioeconômicas, demográficas e obstétricas na insegurança alimentar em gestantes. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2018;18(4):815-24. https://doi.org/10.1590/1806-93042018000400008

16. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual operacional para uso do sistema de vigilância alimentar e nutricional. Brasília (DF); 2017. [acesso 2021 Out 21]. Disponível em: http://sisaps.saude.gov.br/sisvan/public/file/ManualDoSisvan.pdf

17. Mourão E, Gallo CO, Nascimento FA, Jaime PC. Tendência temporal da cobertura do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional entre crianças menores de 5 anos da região Norte do Brasil, 2008-2017. Epidemiol Serv Saúde. 2020;29(2):e2019377. https://doi.org/10.5123/S1679-49742020000200026

18. Governo do Estado da Bahia (BA). Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia. Perfil dos Territórios de Identidade da Bahia. 2016; 2. [acesso 2021 Jul 13]. Disponível em: https://sei.ba.gov.br/images/publicacoes/download/perfil_dos_territorios/territorio_identida_vol02.pdf

19. Ministério da Saúde (BR). Guia de implementação do quesito raça/cor/etnia. Brasília (DF); 2018. [acesso 2021 Jul 13]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_implementacao_raca_cor_etnia.pdf

20. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Índice de Desenvolvimento Humano Municipal Brasileiro. Brasília (DF); 2013. [acesso 2021 Jul 13]. Disponível em: https://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/2375/1/Livro_O%20%C3%8Dndice%20de%20Desenvolvimento%20Humano%20Municipal%20Brasileiro.pdf

21. Helene O, Mariano L. Educação e desigualdade na distribuição de rendas. Cad Educ Soc. 2021;41:e223485. https://doi.org/10.1590/ES.223485

22. Manera F, Hofelmann DA. Excesso de peso em gestantes acompanhadas em unidades de saúde de Colombo, Paraná, Brasil. Demetra: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2019;14:e36842. https://doi.org/10.12957/demetra.2019.36842

23. Ferreira LAP, Piccinato CA, Cordioli E, Zlotnik E. Índice de massa corporal pré-gestacional, ganho de peso na gestação e resultado perinatal: estudo descritivo retrospectivo. Einstein. 2020;18:eAO4851. https://doi.org/10.31744/einstein_journal/2020AO4851

24. Schiavetto PCF, Tavares, BB. Índice de massa corporal de gestantes atendidas na unidade de saúde da família. Enferm glob. 2018;17(52):137-165. [acesso 2021 Jul 13]. Disponível em: https://scielo.isciii.es/pdf/eg/v17n52/pt_1695-6141-eg-17-52-137.pdf

25. Santana JM, Assis AMO, Alves WPO, Santos DB. Association between gestational weight gain and birth weight: NISAMI Cohort. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2020;20(2):411-20. https://doi.org/10.1590/1806-93042020000200005

26. Magalhães EIS, Maia DS, Bonfim CFA, Netto MP, Lamounier JA, Rocha DS. Prevalência e fatores associados ao ganho de peso gestacional excessivo em unidades de saúde do sudoeste da Bahia. Ver Bras Epidemiol. 2015;18(4):858-69. https://doi.org/10.1590/19805497201500040014

27. Zuccolotto DCC, Crivellenti LC, Franco LJ, Sarotelli DS. Padrões alimentares de gestantes, excesso de peso materno e diabetes gestacional. Rev Saúde Pública 2019;53:52. https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2019053000909

28. Dashraath P, Wong JLJ, Lim MXK, Lim LM, Li S, Biswas A et al. Coronavirus disease 2019 (COVID-19) pandemic and pregnancy. AJOG. 2020;222(6):521-31. https://doi.org/10.1016/j.ajog.2020.03.021

29. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção Primária à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Manual de recomendações para a assistência à gestante e puérpera frente à pandemia de Covid-19. 2ª edição. Brasília, DF; 2021. [acesso 2023 Mai 23]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_assistencia_gestante_puerpera_covid19_2ed.pdf

30. Almeida MO, Portugal TM, Assis TJCF. Pregnant women and COVID-19: isolation as a physical and psychic impact factor. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2020;20(2):599-602. https://doi.org/10.1590/1806-93042020000200015

31. Costa CS, Steele EM, Leite MA, Rauber F, Levy RB, Monteiro CA. Body weight changes in the NutriNet Brasil cohort during the covid-19 pandemic. Rev Saúde Pública. 2021;55:1. https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2021055003457

32. Sandes MF, Guedes TR, Meneses KCB. Avaliação do uso de telas digitais por crianças e adolescentes em tempos de pandemia. Braz J Develop. 2022;8(9):64081-113. https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BRJD/article/view/52476

33. Schall B, Gonçalves FR, Valente PA, Rocha M, Chaves BS, Porto P et al. Gênero e insegurança alimentar na pandemia de COVID-19 no Brasil: a fome na voz das mulheres. Ciênc Saúde Colet. 2022;27(11):4145-54. https://doi.org/10.1590/1413-812320222711.07502022

34. Trivellato PT, Morais DC, Lopes SO, Miguel ES, Franceschiniet SCC, Priore SE. Insegurança alimentar e nutricional em famílias do meio rural brasileiro: revisão sistemática. Ciênc Saúde Colet. 2019;24(3):865-874, 2019. https://doi.org/10.1590/1413-81232018243.05352017

35. Bezerra MS, Jacob MCM, Ferreira MAF, Vale D, Mirabal IRB, Lyra CO. Insegurança alimentar e nutricional no Brasil e sua correlação com indicadores de vulnerabilidade. Ciênc Saúde Colet. 2020;25(10):3833-46. https://doi.org/10.1590/1413-812320202510.35882018

36. Grupo Governamental de Segurança Alimentar e Nutricional 2 GGSAN. Diagnóstico da segurança alimentar e nutricional do Estado da Bahia. 2015. [acesso 2021 Jul 31]. Disponível em: http://www.casacivil.ba.gov.br/arquivos/File/GGSanDiagnosticodaSegurancaAlimentareNutricionaldoEstadodaBahia2015.pdf

37. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa de orçamentos familiares 2017-2018: análise da segurança alimentar no Brasil. [acesso 2021 Jul 31]. Rio de Janeiro: IBGE 2020. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/bibliotecacatalogo?view=detalhes&id=2101749

38. Demétrio F, Teles CAS, Santos DB, Pereira M. Food insecurity in pregnant women is associated with social determinants and nutritional outcomes: a systematic review and meta-analysis. Ciênc Saúde Colet. 2020;25(7):2663-76. https://doi.org/10.1590/141381232020257.24202018

39. Araujo DMR. Fatores associados ao estado nutricional gestacional e desfechos perinatais em usuárias do Sistema Único de Saúde (SUS), em dois municípios do estado do Rio de Janeiro (RJ) [tese de doutorado]. Rio de Janeiro (RJ): Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca; 2012. 147 p. Disponível em: https://bvssp.icict.fiocruz.br/lildbi/docsonline/get.php?id=3285

40. Cotrim IA, Silva LJ, Souzas R. Cenários da saúde da população negra no Brasil. Cad Saúde Pública. 2017;33(10):e00143517. https://doi.org/10.1590/0102-311X00143517

41. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Desigualdades sociais por cor ou raça no Brasil. 2ed. 2022. Rio de Janeiro. [acesso 2023 Mai 23]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101972_notas_tecnicas.pdf

42. Iriart JAB, Castellanos MEP. Preconceito, discriminação e exclusão em saúde. Ciênc Saúde Colet.2023;28(1):e237. https://doi.org/10.1590/1413-81232023281.16802022

43. Werneck J. Racismo institucional e saúde da população negra. Saúde Soc. 2016;25(3):535-49. https://doi.org/10.1590/S0104-129020162610

44. Chehuen Neto JA, Fonseca GM, Brum IV, Santos JLCT, Rodrigues TCGF, Paulino KR et al. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra: implementação, conhecimento e aspectos socioeconômicos sob a perspectiva desse segmento populacional. Ciênc Saúde Colet. 2015;20(6):1909-16. https://doi.org/10.1590/1413-81232015206.17212014

45. Cardoso AM, Horta BL, Coimbra CEA, Follér ML, Souza MC, Santos RV. (Coords.). Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição dos Povos Indígenas. Relatório final (Análise de dados) n° 7. Rio de Janeiro: FUNASA, 2009. [acesso 2023 Mai 23]. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/handle/icict/56846/Inquerito-Nacional-de-Saude-eNutricaodos-povosIndigenas2009.pdf?sequence=2&isAllowed=y

46. Coimbra CEA. Saúde e povos indígenas no Brasil: reflexões a partir do I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Indígena. Cad Saúde Pública. 2014;30(4):855-9. https://doi.org/10.1590/0102-311X00031214

47. Lima ACS, Assunção, MJSM. Insegurança alimentar em gestantes adolescentes atendidas na atenção primária da rede pública de saúde. Res Soc Dev. 2020;9(11):1-14. [acesso 2021 Jul 30]. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/download/10364/9355/143020

48. Silva AE, Macena ML, Vasconcelos LGL, Almeida NB, Praxedes DRS, Pureza IROM et al. Tendência do estado nutricional de gestantes adolescentes beneficiárias do programa de transferência condicionada de renda brasileiro Bolsa Família no período 2008-2018. Ciênc Saúde Colet. 2021;26(7):2613-24. https://doi.org/10.1590/1413-81232021267.08172021

49. Melo MAS, Coleta MFD, Coleta JAD, Bezerra JCB, Castro AM, Melo ALS et al. Percepção dos profissionais de saúde sobre os fatores associados à subnotificação no Sistema Nacional de Agravos de Notificação. Rev Adm Saúde. 2018;18(71). http://dx.doi.org/10.23973/ras.71.104

50. Alves MC, Jesus JP, Diaz LAF. Autodeclaração da raça/cor no SUS: reflexões conceituais a partir da campanha realizada pelo estado do Rio Grande do Sul. Identidade! 2017;22(1):5-15. Disponível em: https://revistas.est.edu.br/periodicos_novo/index.php/Identidade/article/view/1335

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1969 Larissa Ferreira de Oliveira, Dr Clotilde Assis Oliveira, Dr Jerusa da Mota Santana, Dr Renata de Oliveira Campos

Downloads

Não há dados estatísticos.