O consumo de substitutos de origem vegetal é nutricionalmente mais vantajoso que os produtos cárneos?
PDF

Palavras-chave

Dieta à Base de Plantas
Informação Nutricional
Rotulagem de Alimentos
Alimentos Ultraprocessados

Como Citar

1.
Christ RR, Vasconcelos CM. O consumo de substitutos de origem vegetal é nutricionalmente mais vantajoso que os produtos cárneos?. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 28º de dezembro de 2023 [citado 25º de abril de 2024];82:1-9,e39153. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/39153

Resumo

A busca por um padrão alimentar mais saudável, bem como fatores éticos e de sustentabilidade relacionados ao consumo de carne, vem fazendo com que a cada dia mais pessoas se tornem adeptas a dietas à base de plantas. Concomitantemente, com o aumento de adeptos a essas dietas, vem crescendo nos países ocidentais a oferta de alimentos industrializados de base vegetal, que tem como objetivo substituir os produtos cárneos. O presente estudo comparou os rótulos de produtos de origem animal (POA) e seus análogos de origem vegetais (POV) comercializados nas principais redes de supermercados da grande Vitória, Espírito Santo, e avaliou a contribuição nutricional deles ao consumidor. Foram avaliadas 80 embalagens de produtos, sendo 42 de POA e 38 POV. POV, quando comparados aos POA, não apresentaram diferenças (p>0,05) quanto ao valor calórico, proteínas, gordura total, gordura saturada e sódio. Se sobressaindo apenas no maior teor de carboidratos e fibras e em não possuir gorduras trans em sua composição. Assim, conclui-se que, os POV possuem equivalência em alguns dos constituintes nutricionais analisados. Por isso, se não há restrições para o consumidor, seja por questões de saúde, cultura ou hábito, a substituição de POA por POV não se faz nutricionalmente tão superior.

https://doi.org/10.53393/rial.2023.82.39153
PDF

Referências

1. Poti JM, Braga B, Qin B. Ultra-processed food intake and obesity: what really matters for healthprocessing or nutrient content? Curr Obes Rep. 2017;6(4):420-31. https://doi.org/10.1007/s13679-017-0285-4

2. Soares KMP, Silva JBA, Góis VA. Parâmetros de qualidade de carnes e produtos cárneos: uma revisão. Hig Aliment. 2017;31(268-269):87-94.

3. Atos do Poder Executivo (BR). Decreto nº 9.013, de 29 de março de 2017. Regulamenta a Lei nº 1.283, de 18 de dezembro de 1950, e a Lei nº 7.889, de 23 de novembro de 1989, que dispõem sobre a inspeção industrial e sanitária de produtos de origem animal. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 30 mar 2017. Seção 1(62):3-27.

4. Wolk A. Potential health hazards of eating red meat. J Intern Med. 2017;281(2):106-22. https://doi.org/10.1111/joim.12543

5. Gibbs J, Cappuccio FP. Plant-based dietary patterns for human and planetary health. Nutrients. 2022;14:1614. https://doi.org/10.3390/nu14081614

6. Trautwein EA, McKay S. The role of specific Components of a plant-based diet in management of dyslipidemia and the impact on cardiovascular risk. Nutrients. 2020;12(9):2671. https://doi.org/10.3390/nu12092671

7. Hemler EC, Hu FB. Plant-based diets for personal, population, and planetary health. Adv Nutr. 2019;10(Supplement 4):S275S-S283. https://doi.org/10.1093/advances/nmy117

8. Lynch H, Johnston C, Wharton C. Plant-based diets: considerations for environmental impact, protein quality, and exercise performance. Nutrients. 2018;10(12):1841. https://doi.org/10.3390/nu10121841

9. Gehring J, Touvier M, Baudry J, Julia C, Buscail C, Srour B et al. Consumption of ultra-processed foods by pesco-vegetarians, vegetarians, and vegans: associations with duration and age at diet initiation. J Nutr. 2021;151(1):120-31. https://doi.org/10.1093/jn/nxaa196

10. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC nº 429, de 8 de outubro de 2020. Dispõe sobre rotulagem nutricional dos alimentos embalados. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 9 out 2020. Seção 1(195):106-10.

11. Alcorta A, Porta A, Tárrega A, Alvarez MD, Vaquero MP. Foods for plant-based diets: challenges and innovations. Foods. 2021;10(2):293. https://doi.org/10.3390/foods10020293

12. Hurrell RF. Influence of vegetable protein sources on trace element and mineral bioavailability. J Nutr. 2003;133(9):2973S-2977S. https://doi.org/10.1093/jn/133.9.2973S

13. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Instrução Normativa – IN nº 75, de 8 de outubro de 2020. Estabelece os requisitos técnicos para declaração da rotulagem nutricional nos alimentos embalados. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 9 out 2020. Seção 1(195):113-24.

14. Bernaud FSR, Rodrigues TC. Fibra alimentar: ingestão adequada e efeitos sobre a saúde do metabolismo. Arq Bras Endocrinol Metab. 2013;57(6):397-405. https://doi.org/10.1590/S0004-27302013000600001

15. Chopra S, Arora C, Malhotra A, Khurana SC. Industrially produced trans fat: usage, health implications, global and indian regulations. Indian J Public Health. 2021;65(1):71-5.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1969 Christiane Vasconcelos, Srta

Downloads

Não há dados estatísticos.