Irregularidades registradas durante inspeções sanitárias em restaurantes e similares
PDF

Palavras-chave

Inocuidade dos Alimentos
Boas Práticas de Manipulação
Higiene dos Alimentos
Restaurantes
Inspeção dos Alimentos
Qualidade dos Alimentos

Como Citar

1.
Olmedo PV, Opolski Medeiros C, Ferreira SMR, Stangarlin-Fiori L. Irregularidades registradas durante inspeções sanitárias em restaurantes e similares. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 5º de dezembro de 2023 [citado 25º de abril de 2024];82:1-15,e39184. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/39184

Resumo

Identificar irregularidades em restaurantes pode auxiliar a minimizar riscos de contaminação. O objetivo desse estudo foi analisar as irregularidades registradas em inspeções sanitárias de restaurantes e similares em Curitiba, Brasil, entre 2005 a 2017. A descrição das irregularidades foi organizada seguindo as categorias e os itens da legislação de Boas Práticas (BP) para serviços de alimentação do Brasil e as cinco chaves para uma alimentação mais segura, definidas pela Organização Mundial da Saúde. Do total de 4.098 registros, houve a descrição de 8.327 irregularidades. Em relação às BP, houve a prevalência da descrição de irregularidades nos anos de 2005, 2006 e 2013, e das categorias: edificações, instalações, equipamentos, móveis e utensílios (42,80%); preparação do alimento (11,54%); documentação e registro (9,92%) e matéria-prima, ingredientes e embalagens (9,06%). Em relação às cinco chaves para uma alimentação mais segura, apenas 3.209 (38,53%) descrições correspondiam a esse tema, com destaque a: manter a limpeza (40,70%) e usar água e matérias-primas seguras (34,71%). Houve uma tendência decrescente na descrição das irregularidades no período estudado, porém ainda é um desafio implementar as BP em restaurantes e similares no Brasil, o que pode favorecer a ocorrência de doenças e aumentar o risco à saúde da população.

https://doi.org/10.53393/rial.2023.82.39184
PDF

Referências

1. Kraak VI. The US chain restaurant industry must transform its business model to market healthy menu items to americans to reduce obesity and chornic disease risks. J Nutr. 2020;150(4):656-7. https://doi.org/10.1093/jn/nxaa041

2. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares POF 2017-2018: evolução de indicadores não monetários de pobreza e qualidade de vida no Brasil. [acesso 2022 Mar 08]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/protecao-social/24786-pesquisa-de-orcamentosfamiliares-2.html?=&t=resultados

3. Cunha DT. Improving food safety practices in the food service industry. Curr Opin Food Sci. 2021;42:127-33. https://doi.org/10.1016/j.cofs.2021.05.010

4. World Health Organization – WHO. Food Safety, 2020. [acesso 2022 Mar 27]. Disponível em: https://www.who.int/health-topics/food-safety

5. Ministério da Saúde – MS. Surtos de doenças de transmissão hídrica alimentar no Brasil. Informe 2023. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/d/dtha/publicacoes/surtos-de-doencas-detransmissao-hidrica-e-alimentar-no-brasil-informe2022/view

6. Olmedo PV, Stangarlin-Fiori L, Medeiros CO, Tondo EC, Ferreira SMR. A profile of foodservices in Curitiba and a critical analysis of the results of sanitary inspections at these establishments. J Food Saf. 2018;38(1):e12377. https://doi.org/10.1111/jfs.12377

7. Lima DP, Medeiros CO, Dardin FD, Stangarlin-Fiori L. Implementation of good hygiene practices in food trucks with and without the intervention of a food safety expert. J Food Saf. 2019;39:e12637. https://doi.org/10.1111/jfs.12637

8. Marins BR, Araújo IS. Materiais educativos de vigilâncias sanitárias: perfil de produção e circulação no tema dos alimentos. Trabalho Educação e Saúde. 2016;14(1):137-54. http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00090

9. Olmedo PV, Fiori LS, Medeiros CO, Ferreira SMR. Perfil dos profissionais de vigilância sanitária da área de alimentos em uma capital brasileira. Vigil Sanit Debate. 2019;7(1):23-32. https://doi.org/10.22239/2317-269X.01144

10. World Health Organization – WHO. Five keys to safe food manual. 2006. [acesso 2022 Mar 20]. Disponível em: https://www.who.int/publications/i/item/9789241594639

11. Dardin FD, Stangarlin-Fiori L, Olmedo PV, Serafim AL, Medeiros CO. Elaboration and validation of a checklist for the evaluation of good hygiene practices in food trucks. Br Food J. 2019;121(10):2490-2507. https://doi.org/10.1108/BFJ-02-2019-0093

12. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 216, de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre regulamento técnico de boas práticas para serviços de alimentação. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 16 set 2004. Seção 1(179):25-8.

13. Serafim AL, Stangarlin-Fiori L, Hecktheuer LHR. Good handling practices in food and Beverage areas of hotels: evaluation of improvements achieved versus financial investments. J Food Saf. 2018;38(6):e12543. https://doi.org/10.1111/jfs.12543

14. Kaskela J, Vainio A, Ollila S, Lundén J. Food business operators’ opinions on disclosed food safety inspections and occurrence of disagreements with inspector grading. Food Control. 2019;105:248-55. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2019.06.005

15. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE): versão 2.0: subclasses para uso na administração pública. Comissão Nacional de Classificação. Subcomissão Técnica para a CNAE – Subclasses; 2022. [acesso 2022 Mar 26]. Disponível em: https://concla.ibge.gov.br/busca-online-cnae.html

16. Lopes LFD, Müller I, Souza AM, Ansuj AP, Moraes DAO, Junior FJM et al. Caderno didático: estatística geral. Santa Maria: UFSM. 3.ed. 2008.

17. Kaskela J, Sund R, Lundén J. Efficacy of disclosed food safety inspections in restaurants. Food Control. 2021;123:107775. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2020.107775

18. Conselho Federal de Nutricionistas (CFN). Resolução Nº 600, de 25 de fevereiro de 2018. Dispõe sobre a definição das áreas de atuação do nutricionista e suas atribuições, indica parâmetros numéricos mínimos de referência, por área de atuação, para a efetividade dos serviços prestados à sociedade e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasilia, DF, 20 abr 2018. Seção 1(76):157.

19. Bukhari MA, Banasser TM, El-Bali M, Bulkhi RA, Qamash RA, Trenganno A et al. Assessment of microbiological quality of food preparation process in some restaurants of Makkah city. Saudi J Biol Sci. 2021;28(10):5993-97. https://doi.org/10.1016/j.sjbs.2021.06.050

20. Lee JH, Seo KH. An integrative review of hygiene practice studies in the food service sector. J Food Prot. 2020;83(12): 2147-57. https://doi.org/10.4315/JFP-19-488

21. Sha Y, Song X, Zhan J, Lu L, Zhang Q, Lu Y. Regional character, restaurant size, and food safety risk: evidence from food safety violation data in Gansu Province, China. J Food Prot. 2020;83(4):677-85. https://doi.org/10.4315/0362-028X.JFP-19-457

22. DiPietro RB, Harris K, Jin D. Employed in the foodservice industry: likelihood of intervention with food safety threats. Int Hosp Rev. 2020;34(2):243-62. https://doi.org/10.1108/IHR072020-0021

23. Cunha DT, Rosso VV, Stedefeldt E. Food safety performance and risk of food services from diferente natures and the role of nutritionist as food safety leader. Ciênc Saúde Colet. 2018;23(12):4033-42. https://doi.org/10.1590/1413-812320182312.21042016

24. Lundén J, Kosola M, Kiuru J, Kaskela J, Inkinen T. Disclosed restaurant inspection results on food safety show regional and local differences in Finland. Food Control. 2021;119:107462. https://doi.org/10.1016/j.foodcont.2020.107462

25. Dardin FD, Medeiros CO, Diz MN, Costa RL, Stangarlin-Fiori L. Evaluation of good hygiene practices in food trucks from the perspective of internal and external auditors. J Qual Assur Hosp Tour. 2020;22(2):143-62. https://doi.org/10.1080/1528008X.2020.1756023

26. Cunha DT, Amorim ALB, Leite FHM, Stedefeldt E, Rosso VV, Bandoni DH. Dimensioning of the physical area and required number of food handlers for school food services. Rev Nutr. 2019;32:e180188. https://doi.org/10.1590/1678-9865201932e180188

27. Harris K, Taylor S, DiPietro RB. Antecedents and outcomes of restaurant employees’ food safety intervention behaviors. Int J Hosp Manag. 2021;94(4):102858. https://doi.org/10.1016/j.ijhm.2021.102858

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 1969 Patricia Olmedo, Lize Stangarlin-Fiori, Caroline Opolski Medeiros, Sila Mary Rodrigues Ferreira

Downloads

Não há dados estatísticos.