Determinação da fração da fibra alimentar solúvel em raiz e farinha de yacon (Smallanthus sonchifolius) pelo método enzimático-gravimétrico e cromatografia líquida de alta eficiência
PDF

Palavras-chave

fibras alimentares
raiz de yacon
farinha de yacon
inulina
frutooligossacarídeos

Como Citar

1.
Vasconcelos CM, Silva CO da, Teixeira LJQ, Chaves JBP, Martino HSD. Determinação da fração da fibra alimentar solúvel em raiz e farinha de yacon (Smallanthus sonchifolius) pelo método enzimático-gravimétrico e cromatografia líquida de alta eficiência. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de fevereiro de 2010 [citado 16º de julho de 2024];69(2):188-93. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32655

Resumo

Este trabalho teve como objetivo determinar o teor total de fibras alimentares em polpa da raiz (PRY) e de farinha de yacon (FY) pelo método enzimático-gravimétrico segundo AOAC e os frutanos por cromatografia
líquida de alta eficiência (HPLC). A FY foi preparada por meio do processo de limpeza, sanitização, branqueamento e a secagem da PRY a 55°C por 48 horas. Foi determinada a composição centesimal da FY e da PRY; o teor de fibras totais correspondeu ao somatório das determinações pelo método enzimáticogravimétrico e HPLC. Encontrou-se elevado teor de fibra alimentar total (matéria seca) nas amostras de PRY e de FY (33,14 e 50,76%, respectivamente), com predomínio de frutooligossacarídeos [FOS] (37,97 e 40,97% respectivamente) e considerável teor de inulina (26,10 e 20,75%, respectivamente). O cromatograma também mostrou elevada concentração de frutose, glicose e sacarose como únicas fontes de carboidratos, além dos frutanos, inulina e FOS. Os métodos enzimático-gravimétricos são considerados os mais apropriados para análises rotineiras de fibras alimentares, contudo estes são ineficazes para determinação de oligossacarídeos com grau de polimerização menor do que 12, como é o yacon. Assim, é necessário efetuar métodos complementares, como HPLC, para quantificar com exatidão o teor total de fibra alimentar dessa raiz.

https://doi.org/10.53393/rial.2010.v69.32655
PDF

Referências

1. Meier R, Lochs H. Pre and probiotics. Therapeut. Umschau. Rev Thérapeut. 2007;64(3):161-9.

2. Rolim PM. Aspectos sensoriais e funcionais de pães com farinha de yacon (Smallanthus sonchifolius) [dissertação de mestrado]. Recife, Pernambuco: Universidade Federal de Pernambuco, 2008.

3. Anderson JW. Dietary fiber and human healthy. Hortc Sci. 1990; 25:1488-95.

4. Bornet FRJ. Undigestible sugars in food products. Am J Clin Nutr. 1994;59:7635-95.

5. McCleary BV. Dietary Fibre Analysis. Proceedings of the Nutrition Society. 2003;62:3–9.

6. Sanchez-Castillo CPS, De Wey PJS, Bourges H, James WPT. Dietary fibre, what it is and how it is measured. Arch Latinoam Nutr. 1994;44(2):68-75.

7. Filisetti TMC. Fibra Alimentar - Definições, Componentes e Métodos Analíticos. In: Silva SMCS, Mura JDP. Tratado de alimentação, nutrição e dietoterapia. 1ª ed. São Paulo: Ed. Roca; 2007. p.179-98.

8. Capito SMP, Filisetti TMCC. Inulina: um ingrediente alimentar promissor. Cadernos de Nutrição. 1999; 18:1-11.

9. Coussement P. Inulin and oligofructose as dietary fiber: analytical, nutritional and legal aspects. In: Cho SS, Prosky L, Dreher M, editores. Complex Carbohydrates in Foods. New York: Marcel Dekker; 1999. p.203-12.

10. Sangeethaa PT, Ramesha MN, Prapullaa SG. Recent trends in the microbial production, analysis and application of Fructooligosaccharides. Trends Food Sci Technol. 2005;16: 442-57.

11. Quemener B, Thibault JF, Coussement P. Determination of inulin and oligofructose in food products, and integration in the AOAC method for measurement of total dietary fiber. Lebens Wissen Techn. 1994; 27:125–32.

12. Prosky L, Hoebregs H. Methods to Determine Food Inulin and Oligofructose. J Nutr. 1999;129:1418S-23S.

13. IFST. Institute of Food Science & Technology. Dietary Fibre [serial on line]. 2007: 1-10. Disponível em: [http://www.ifst.org/ document.aspx?id=117].

14. Hermann M, Freire I, Pazos C. Compositional diversity of the yacon storage root. In:’ Impact on a changing world. CIP Program Report. Lima: Centro Internacional de la Papa; 1998: 425-32.

15. Silva ASS. A raiz de yacon (Smallanthus sonchifolius Poepping & Endlicher) como fonte de fibras alimentares, sua caracterização físico-química, uso na panificação e sua influência na glicemia pós-prandial. [tese de doutorado]. Florianópolis, Santa Catarina: Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

16. Ribeiro JA. Estudo químico e bioquímico do yacon (Smallanthus sonchifolius) in natura e processado e influência do seu consumo sobre níveis glicêmicos e lipídios fecais de ratos. [dissertação de mestrado] Lavras, Minas Gerais: Universidade Federal de Lavras, 2008.

17. AOAC. Official Methods of Analysis of the AOAC International. 16th ed. Gaitherburg: 1997.

18. Kaneko T, Kudo T, Horikoshi K. Comparison of CD composition produced by chimeric CGTases. Agric Biol Chem. 1990; 54(1):197-01.

19. Torres EAFS, Campos NC, Duarte M, Garbelotti ML, Philippi ST, Rodrigues RSM. Composição centesimal e valor calórico de alimentos de origem animal. Ciênc Tecnol Aliment. Campinas. 2000;20(2):145-50.

20. Watt B, Mirrill AL. Composition of foods: raw, processed and prepared. Washington: Consumer and Food Economics Research Divisions/Agricultural Research Service, 1963. 198p. (Agriculture Handbooke, 8).

21. Manrique I, Párraga A, Hermann M. Yacon syrup: Principles and processing. Series: Conservación y uso de la biodiversidad de raíces y tubérculos andinos: Una década de investigación para el desarrollo (1993-2003). n. 8B. International Potato Center, Universidad Nacional Daniel Alcides Carrión, Erbacher Foundation, Swiss Agency for Development and Cooperation. Lima, Peru. 31p.

22. Graefe S, Hermann M, Manrique I, Golombek S, Buerkert A. Effects of post-harvest treatments on the carbohydrate composition of yacon roots in the Peruvian Andes. Field Crops Res. 2004; 86:157-65.

23. Moura CP. Aplicação de redes neuronais para a predição e otimização do processo de secagem de yacon (Polymnia sonchifolia) com pré-tratamento osmótico. [dissertação de mestrado] Curitiba, Paraná: Universidade Federal do Paraná, 2004.

24. Brasil. Resolução RDC n° 359, de 23 de dez. 2003 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Diário Oficial [da] União. Brasília, DF, 26 de dez. 2003. Seção 1, p.28-9.

25. Marangoni AL. Potencialidade de aplicação da farinha de yacon (Polymnia sonchifolia) em produtos à base de cereais. [dissertação de mestrado] Campinas, São Paulo: Universidade Estadual de Campinas, 2007.

26. Ohyama T, Ito O, Yasuyoshi S, Iharashi T, Minamizawa K, Kubota M et al. Composition of storage carbohydrate in tubers of yacon (Polymnia sonchifolia). Soil Sci Plant Nutr. 1990; 36(1):167-71.

27. Prapulla SG, Subhaprada V, Karanth NG. Microbial production of oligosaccharides: A Review. In: Laskin AL, Bennet JW, Gadd G. Adv Appl Microbiol. New York: Academic Press; 2000. p. 299–37.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2010 Christiane Mileib Vasconcelos, Cassiano Oliveira da Silva, Luciano José Quintão Teixeira, José Benício Paes Chaves, Hércia Stampini Duarte Martino

Downloads

Não há dados estatísticos.