Iodoterapia: avaliação crítica de procedimentos de precaução e manuseio dos rejeitos radioativos

Autores

  • Maria Lúcia Rissato Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, SP
  • Maria Lúcia Ribeiro Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, SP
  • Neusa Regina Parras Simões de Castro Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, SP
  • Marcus César Avezum Alves de Castro Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, SP
  • Luciana Camargo Oliveira Centro Universitário de Araraquara, Araraquara, SP

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2009.v68.32724

Palavras-chave:

iodoterapia, iodo-radioativo, rejeitos radioativos

Resumo

Investigações sobre os procedimentos de precaução e manipulação dos rejeitos radioativos, gerados na iodoterapia, são muito pouco discutidas na literatura. A aplicação destes procedimentos de precaução, atendendo às normas da legislação vigente, depende diretamente do grau de conhecimento da equipe de enfermagem na manipulação do 131I, radioisótopo empregado na iodoterapia. Este trabalho apresenta uma avaliação crítica dos procedimentos de precaução e manipulação adotados pela equipe de enfermagem na terapêutica da iodoterapia utilizando um instrumento de análise, validado por um pré-teste e aplicado à equipe de enfermagem da unidade de internação da iodoterapia, em três hospitais (A, B - filantrópicos; C - privado), analisando: conhecimento específico da equipe de enfermagem e atendimento às normatizações. A análise comparativa mostrou significativa diferença dos procedimentos realizados na iodoterapia pela equipe de enfermagem nos hospitais estudados. Os procedimentos de precaução e a adequação da infra-estrutura na realização da terapêutica da iodoterapia dependem fundamentalmente da fiscalização dos órgãos competentes, do conhecimento específico e responsabilidade do profissional responsável pelo serviço de Medicina Nuclear, e do incentivo da direção do estabelecimento prestador de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Manual de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde / Ministério da Saúde – Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

2. Almeida CEB. Apostila educativa Radiações Ionizantes e a vida. Disponível em: http://www.cnen.gov.br. (acessado em 21.ago.2008).

3. Mateus L. A importância da Enfermagem no Tratamento com Iodo Radioativo. Rev. Nursing.2000; 25: 6-8.

4. Conselho nacional de energia nuclear. Norma de Requisitos de Radioproteção e Segurança para Serviços de Medicina Nuclear – NE-3.05. CNEN. 1996.

5. Thompson MA. Radiation Safety Precautions in the Manegement of the Hospitalized 131I Therapy Patient, J Nucl Med Technol.2001; 29: 61-6.

6. Maxon HR. Efeitos da radioiodoterapia nas gerações futuras de mulheres com carcinoma diferenciado de tireóide. Rev. Bras. Radioiodoterapia. 2004; 37: 51-5.

7. Mohammadi H. Radiation Exposure Rate From 131I-Treated Hyperthyroid Patients – A Dynamic Study, With Data for Up To 42 D Post Therapy. Health Phys.2005; 88: 100-11.

8. North DL. Effective Hal-life of 131I in Thyroid Câncer Patients Providence. Health Phys. 2001; 81: 60-5.

9. Rutar FJ. Outpatient Treatment with 131I-Anti-B1 Antibody: Radiation Exposure to Family Members Omaha. J Med Nucl. 2001; 42: 907-15.

10. Cosendey CH., Souza SR. Enfermagem Médico-Cirúrgica. Rio de Janeiro: Reichmann&Affonso; 2004.

11. Vidal L. Determinant factors of thyroid function out come in patients with graves’disease after radiodine therapy. [acesso em 13 de abril de 2006]. Disponível em: http://:www.geocites.com/trabalhosmrdicina/hipotireoidismo.ppt.

12. Nascimento ACH. Análise biocinética do Iodo-131 e dosimetria citogenética após administração de radionuclídeo para o tratamento do câncer de tireóide [dissertação de mestrado]. Rio de Janeiro: Instituto de Biociências Nucleares, Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 1996. 117 pp.

13. Antonucci JB. Terapêutica do Câncer diferenciado da tireóide com I131 Análise de Resultados. [dissertação de mestrado]. Rio de Janeiro: Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio de Janeiro; 1992.

14. Machado AMR. Plano de radioproteção, Implantação de um sistema de Radioproteção e de Gerenciamento de Resíduos Radioativos. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos; 2005.

15. Conselho Nacional de Energia Nuclear – CONEN.Norma de Diretrizes Básicas de Proteção Radiológica – NE- 3.01, CNEN, 01/2005.

16. Conselho Nacional de Energia Nuclear – CONEN. Norma de Gerência de Rejeitos Radioativos em Instalações radioativas- NE-6.05, CNEN, 10/1985.

17. Andrade JBL. Análise do fl uxo e das características físicas, químicas e microbiológicas dos resíduos de serviços de saúde: proposta de metodologia para o gerenciamento em unidades hospitalares. 1997, 208p. [Tese de doutorado] Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, São Carlos, 1997. 208 p.

18. Takayanagui AMM, Lopes TM, Segura-Muñoz S. El conocimiento sobre el grado de riesgo de residuos de servicios de salud obtenido a partir de una revisión sistemática de literatura. In: Congresso y Exposición Mundial - ISWA 2005-, 2005, Bueno Aires. Congresso y Exposición Mundial “ ISWA 2005” : Hacia un sistema integral de gestión de residuos sólidos urbanos., 2005. p. 48-8.

19. Davenport TO. O capital humano: o que é e por que as pessoas investemnele. São Paulo: Editora Nobel; 2001.

20. Campos VF. Gerenciamento da rotina do trabalho do dia-a-dia. Belo Horizonte: Editora de Desenvolvimento Gerencial; 1998.

21. São Paulo.Secretaria de Estado da Saúde.Resolução SS-625, de 14-12-94. Aprova norma técnica que dispõe sobre o Uso, Posse e Armazenamento de Fontes de Radiação Ionizante. no âmbito do Estado de São Paulo. [acesso em 17 de abril de 2007].Disponível em: http://fosjs.unesp.br/radiologia/legislaçãoraiox/resolução/%20SS-625-1-1994.

22. ONA - Manual Brasileiro de Acreditação Hospita lar. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Departamento de Avaliação de Políticas de Saúde.104p, 2006.

23. Internacional Comission on Radiological Protection – ICRP. Recommendations of the International Commission on Radiological Protection. Report 60, ICRP Publications. Elmsford, NY , Pergamon Press, 1990.

24. Willegaignon J. 131I effective Half-Life(Teff) for Patients with Thyroid Cancer. Health Phys.2006; 91: 20-4.

Downloads

Publicado

2009-04-01

Como Citar

1.
Rissato ML, Ribeiro ML, Castro NRPS de, Castro MCAA de, Oliveira LC. Iodoterapia: avaliação crítica de procedimentos de precaução e manuseio dos rejeitos radioativos. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 1º de abril de 2009 [citado 4º de março de 2024];68(2):245-53. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/32724

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL