Controle de qualidade externo nos laboratórios de tuberculose do estado de São Paulo, Brasil
PDF

Palavras-chave

controle de qualidade
tuberculose pulmonar
microscopia

Como Citar

1.
Pedro H da SP, Villela G, Coelho AGV, Nardi SMT, Silva RRF e, Galle LC, Shikama M de LM, Leite AR, Povinelli RF, Silva JO, Ferraz MHL, Ferrazoli L. Controle de qualidade externo nos laboratórios de tuberculose do estado de São Paulo, Brasil. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 2º de outubro de 2015 [citado 25º de julho de 2024];73(4):351-7. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/33375

Resumo

Os objetivos deste estudo foram de avaliar a qualidade técnica de laboratórios públicos e conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS) que fazem baciloscopia da tuberculose (TB) e de apresentar os dados do Controle de Qualidade Externo (CQE) realizado na rede de laboratórios de TB do estado de São Paulo, Brasil. Neste contexto, foi realizado o estudo descritivo retrospectivo do CQE de 198 laboratórios supervisionados no biênio 2009-2010. A concordância entre os resultados das baciloscopias executadas nos laboratórios supervisionados e de supervisores foi de 99,4 %; e as porcentagens relativas de resultados falso-positivos e falso negativos foram, respectivamente, de 1,9 % e 0,4 %. A comparação entre a qualidade dos esfregaços realizados por laboratórios públicos e conveniados mostrou que os públicos apresentaram qualidade superior (valor-p<0,05). Este estudo mostrou que 74,2 % dos laboratórios foram aprovados no CQE; e o desempenho dos laboratórios conveniados foi inferior ao dos públicos. Estes dados reforçam a importância de manter programa de CQE de baciloscopia e de capacitação dos profissionais, considerando-se ser este um exame diagnóstico muito utilizado e relevante no país.
https://doi.org/10.18241/0073-98552014731626
PDF

Referências

1. Barreira D, Grangeiro A. Avaliação das estratégias de controle da tuberculose no Brasil. Rev Saúde Pública. 2007; 41(supl 1):4-8.

2. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Controle da Tuberculose. Manual de recomendações para o controle da Tuberculose no Brasil. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2010.

3. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Manual nacional de vigilância laboratorial da Tuberculose e outras Micobactérias. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2008.

4. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Portaria nº 2.031/GM em 23 de setembro de 2004.Dispõe sobre a organização do Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública [Internet site]. Disponível [http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2004/GM/GM-2031.htm]. Acesso 30 Maio 2011.

5. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Tuberculose:guia de vigilância epidemiológica. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2002.

6. Lanata CF, Black RE. Lot quality assurance sampling techniques in health surveys in developing countries: advantages and current constraints. World Health Stat Q. 1991; 44:133-9.

7. Aziz MA. External quality assessment for AFB smear microscopy. Washington (DC): APHL; 2002.

8. Selvakumar N, Prabhakaran E, Rahman F, Chandu NA, Srinivasan S, Santha T, et al. Blinded rechecking of sputum smears for acid-fast bacilli to ensure quality and usefulness of re-staining of smears to assess false-positive errors. Int J Tuberc Lung Dis. 2003;7:1077-82.

9. Gilpin C, Kim SJ, Lumb R, Rieder HL, Van Deun A, Working Group on Sputum Smear Microscopy. Critical appraisal of current recommendations and practices for tuberculosis sputum smear microscopy. Int J Tuberc Lung Dis. 2007;11:946-52.

10. Kusznierz G F, Latini OA, Sequeira MD. Quality assessment of smear microscopy for acid-fast bacilli in the Argentine tuberculosis laboratory network, 1983-2001. J Tuberc Lung Dis. 2004;8:1234-41.

11. Vieira FD, Salem JI, Ruffino-Netto A, Camargo AS, Ferro e Silva RR, Moura LCC, et al. Methodology for characterizing proficiency in interpreting sputum smear microscopy results in the diagnosis of tuberculosis. J Bras Pneumol. 2008;34:304-11.

12. Rieder HL, Van Deun A, Kam KM, Kim SJ, Chonde TM, Trébucq A, et al. Priorities for tuberculosis technology services in Low-Income Countries. 2nd ed. Paris: International Union Against Tuberculosis and Lung Disease; 2007.

13. The Global Fund. Fighting Tuberculosis. The global tuberculosis epidemic [Internet site]. Available: http://www.theglobalfund.org/en/about/diseases/tuberculosis/. Accessed 14 Ago 2013.

14. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades [Internet site]. Disponível: [http://cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=35&search=sao-paulo]. Acesso 14 Ago 2013.

15. Landis JR, Koch GG. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics. 1977; 33:159-74.

16. Galesi VMN, Santos LAR. Tuberculose: a cura em estado de alerta. Prática Hospital. 2004;6:67.

17. Imaz MS, Sequeira MD, Red de Laboratorios Provinciales de Tuberculosis en Argentina. Diagnóstico bacteriológico de la tuberculosis em Argentina: resultados de una encuesta nacional. Cad Saúde Pública. 2007;23:885-96.

18. Romero MRM, García G, Cardoso EM. Evaluación de los indicadores de calidad de la baciloscopía de tuberculosis en los laboratórios provinciales de diagnóstico de Cuba. Arch Venez Farmacol Ter. 2008;27:110-3.

19. Mundy CJF, Harries AD, Banerjee A, Salaniponi FM, Gilks CF, Squire SB. Quality assessment of sputum transportation, smear preparation and AFB microscopy in a rural district in Malawi. Inter J Tuberc Lung Dis. 2002;6:47-54.

20. Van Deun A, Portaels F. Limitations and requirements for quality control of sputum smear microscopy for acid-fast bacilli. Int J Tuberc Lung Dis. 1998;2:756-65.

21. Paramasivan CN, Venkataraman P, Vasanthan JS, Rahman F, Narayanan PR. Quality assurance studies in eight State tuberculosis laboratories in India. Int J Tuberc Lung Dis. 2003;7:522-7.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2015 Heloisa da Silveira Paro Pedro, Gleize Villela, Andréa Gobeti Vieira Coelho, Susilene Maria Tonelli Nardi, Regina Ruivo Ferro e Silva, Leonilda Chiari Galle, Maria de Lourdes M. Shikama, Andréa Rezende Leite, Rodrigo Friozi Povinelli, Jaqueline Otero Silva, Maria Helena Leme Ferraz, Lucilaine Ferrazoli

Downloads

Não há dados estatísticos.