Avaliação antifúngica de uma solução à base de glucoprotamina e do óleo essencial de Cymbopogon citratus em leveduras de ambiente hospitalar

Autores

  • Carolina Lambrecht Gonçalves Laboratório de Micologia, Programa de Pós-Graduação em Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, RS
  • Cristina Hallal de Freitas Laboratório de Micologia, Programa de Pós-Graduação em Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, RS
  • Pedro Rassier dos Santos Laboratório de Micologia, Programa de Pós-Graduação em Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, RS
  • Evandro Carlos Pereira Laboratório de Micologia, Universidade Federal de Pelotas
  • Camila Lopes Laboratório de Micologia, Programa de Pós-Graduação em Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, RS
  • Ivandra Santi Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e Alimentos, Universidade Federal de Pelotas
  • Rogério Antônio Freitag Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e Alimentos, Universidade Federal de Pelotas
  • Patrícia da Silva Nascente Laboratório de Micologia, Programa de Pós-Graduação em Parasitologia, Universidade Federal de Pelotas, RS

DOI:

https://doi.org/10.53393/rial.2019.v78.35881

Palavras-chave:

glucoprotamina, Candida, contaminação ambiental, Hospital, óleo essencial de Cymbopogon citratus

Resumo

O objetivo deste estudo foi de avaliar a atividade antifúngica de uma solução à base de glucoprotamina
(GLU) e de óleo essencial (OE) de Cymbopogon citratus. Candida tropicalis, Claviceps lusitaniae,
Meyerozyma (Pichia) guilliermondii e Candida parapsilosis foram isoladas das superfícies de um
hospital público de Pelotas, RS. A atividade antifúngica da GLU foi analisada nas concentrações de
0,25% a 0,0005%, e para o OE, obtido por Clevenger, foi utilizado nas concentrações de 17.500 μg/mL
a 0,034 μg/mL. A análise cromatográfica foi efetuada por meio de CG/MS. A atividade anti-Candida
foi analisada pela técnica de Microdiluição em Caldo para determinar a Concentração Inibitória
Mínima (CIM) e a Concentração Fungicida Mínima (CFM). A inibição pela GLU ocorreu em
todas as concentrações testadas, enquanto o OE apresentou resultado de CIM que oscilou de 2846 a
5450 μg/mL, e CFM de 2853 a 5330 μg/mL. Alfa–citral (37,10%), beta–citral (32,77% e beta-mirceno
(18,75%) foram considerados como os compostos majoritários do OE. Os dados obtidos neste
trabalho destacam a atividade antifúngica da solução à base de GLU e do OE de C. citratus na
eliminação dos isolados de Candida spp ambientais.

Referências

1. Nogueira PSF, Moura ERF, Costa MMF, Monteiro
WMS, Brondi L. Perfil da Infecção Hospitalar em
um Hospital Universitário. Rev enferm UERJ.
2009;17(1):96-101. Disponível em: http://files.bvs.br/
upload/S/0104-3552/2009/v17n1/a017.pdf

2. Collins AS. Preventing health care–associated
infections. In: Hughes RG, editor. Patient safety and
quality: An evidence-based handbook for nurses.
Rockville (MD): Agency for Healthcare Research and
Quality (US); 2008 Apr. Chapter 41.

3. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA.
Segurança do paciente em serviços de saúde: limpeza
e desinfecção de superfícies; 2012.120p.

4. Zeitler B, Rapp I. Surface-dried viruses can
resist glucoprotamin-ased disinfection. Appl
Environ Microbiol. 2014;80(23):7169-75.
https://doi.org/10.1128/AEM.02462-14

5. Genz TB, Callai T, Schlesener VRF, Oliveira CF,
Renner JDP. Eficácia antibacteriana de a1gentes de
limpeza na desinfecção de superfícies de consultórios
odontológicos. RFO UPF (Online). 2017;22(2):162-6.
https://doi.org/10.5335/rfo.v22i2.6781

6. Tyski S, Grzybowsa W, Grzeszczuk S, Leszczynski
P, Staniszewska M, Röhm-Rodowald E et al.
Antimicrobial activity of Glucoprotamin-containning
disinfectants. Pol J Microbiol. 2009; 58 (4): 347-53.

7. Sá Silva F, Ferreira TM, Teodoro GR, Costa ACBP,
Maria A, Beltrame Junior M et al. Atividade
antifúngica do óleo essencial de Cymbopogon
citratus frente a cepas de Candida albicans e Candida
tropicalis isoladas de infecções nosocomiais. Rev Inst
Adolfo Lutz. 2009;68:434-41. Disponível em: http://
www.ial.sp.gov.br/resources/insituto-adolfo-lutz/
publicacoes/rial/2000/rial68_3_completa/1241.pdf

8. Brasil. Farmacopeia Brasileira / Agência Nacional
de Vigilância Sanitária. 5.ed. Brasília (DF): Anvisa;
2010. 546 p.

9. Irinyi L, Lackner M, De Hoog S, Meyer W.DNA
barcoding of fungica using infections in humans
and animals. Fungal Biol. 2016;125(2):125-36.
https://doi.org/10.1016/j.funbio.2015.04.007

10. CLSI. Clinical and Laboratory Standards Institute.
Reference method for broth dilution antifungal
susceptibility testing of yeasts. 4th Informational
Supplement. CLSI document M27-S4. Wayne:
Clinical and Laboratory Standards Institute; 2012.

11. Widmer AE, Frei R. Antimicrobial activity of
glucoprotamina: a clinical study of a new disinfectant
for instruments. Infect Control Hosp Epidemiol.
2003;24(10):762-4. https://doi.org/10.1086/502128

12. Cechinel Filho V, Yunes RA. Estratégias para obtenção
de compostos farmacologicamente ativos a partir
de plantas medicinais: conceitos sobre modificação
estrutural para otimização da atividade. Quím Nova.
1998;21(1):99-105. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-
40421998000100015

13. Singh BR, Singh V, Singh RK, Ebibeni N. Antimicrobial
activity of lemongrass (Cymbopogon citratus) oil
against microbes of environmental, clinical and food
origin. Int Res J Pharm Pharmacol. 2011;1(9):228-36.
Disponível em: https://www.interesjournals.org/
articles/antimicrobial-activity-of-lemongrasscymbopogon-
citratus-oil-against-microbes-ofenvironmental-
clinical-and-food-origin.pdf

14. Mathew TK, Aswathy PG, Surya NK, Honey M,
Kuriakose J. Study on disinfectant potential of lemon
grass oil against common pathogens. Int J Adv
Res. 2016;4(7): 675-9. http://dx.doi.org/10.21474/
IJAR01/926

15. Tyagi AK, Malik SA. Liquid and vapour-phase
antifungal activities of selected essential oils against
Candida albicans: microscopic observations and
chemical characterization of Cymbopogon citratus.
BMC Complement Altern Med. 2010;10:65.
https://doi.org/10.1186/1472-6882-10-65

16. Khan MSA, Ahmad I. In vitro antifungal, antielastase
and anti-keratinase activity of essential oils of
Cinnamomum-, Syzygium- and Cymbopogon species
against Aspergillus fumigatus and Trichophyton
rubrum. Phytomedicine. 2011; 19 (1):48–55. https://
doi.org/10.1016/j.phymed.2011.07.005

17. Miron D, Battisti F, Silva FK, Lana AD, Pippi B,
Casanova B et al. Antifungal activity and mechanism
of action of monoterpenes against dermatophytes
and yeasts. Rev Bras Farmacogn. 2014;24(6):660-7.
https://doi.org/10.1016/j.bjp.2014.10.014

18. Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA.
Boletim Informativo. Segurança do Paciente e
Qualidade em Serviços de Saúde no14; 2015.

Publicado

2019-03-29

Como Citar

Gonçalves, C. L. ., Freitas, C. H. de ., Santos, P. R. dos ., Pereira, E. C. ., Lopes, C. ., Santi, I. ., Freitag, R. A. ., & Nascente, P. da S. . (2019). Avaliação antifúngica de uma solução à base de glucoprotamina e do óleo essencial de Cymbopogon citratus em leveduras de ambiente hospitalar. Revista Do Instituto Adolfo Lutz, 78(1), 1–6. https://doi.org/10.53393/rial.2019.v78.35881

Edição

Seção

ARTIGO ORIGINAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)