Parâmetros microscópicos de açúcar de coco comercializados na cidade de São Paulo, Brasil: identidade e qualidade
PDF

Palavras-chave

análise de alimentos
controle de qualidade
fraude
boas práticas
inocuidade dos alimentos
vigilância sanitária

Como Citar

1.
Pauli-Yamada LF de, Aquino CI de, Marciano MAM, Silva AM da, Dimov MN. Parâmetros microscópicos de açúcar de coco comercializados na cidade de São Paulo, Brasil: identidade e qualidade. Rev Inst Adolfo Lutz [Internet]. 30º de dezembro de 2020 [citado 18º de julho de 2024];79(1):1-6. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/RIAL/article/view/36025

Resumo

O açúcar de coco vem se tornando popular no Brasil e no mundo devido às alegações nutricionais de
ser um adoçante natural e mais saudável em relação a outros açúcares. Sua produção ocorre de forma
artesanal a partir da extração da seiva do floema da inflorescência da palmeira. Este trabalho teve por
objetivo analisar microscopicamente a identidade e a presença de matérias estranhas em amostras de
açúcar de coco, bem como verificar sua conformidade em relação às legislações sanitárias brasileiras.
Foram analisadas 13 amostras comerciais de açúcar de coco da cidade de São Paulo quanto aos
ensaios de pesquisa e identificação de elementos histológicos e pesquisa de matérias estranhas. A
identificação de elementos histológicos vegetais revelou a presença de amidos morfologicamente
semelhantes ao padrão de Triticum sp. (trigo), Manihot sp. (mandioca) e Oryza sativa (arroz), além
de amidos alterados. Também foram encontrados elementos histológicos vegetais compatíveis com
padrão de Saccharum officinarum (cana-de-açúcar) e de Cocos nucifera (coco). Todas as amostras
analisadas continham matérias estranhas com predomínio de fragmentos de insetos em 100%
delas. Os resultados do estudo indicam falhas nas Boas Práticas de produção do açúcar de coco e a
necessidade da adequação deste produto em relação às normas vigentes.

https://doi.org/10.53393/rial.2020.v79.36025
PDF

Referências

1. Saputro AD, Van de Walle D, Dewettinck K. Palm
Sap Sugar: A Review. Sugar Tech. 2019;21(6):862-7.
https://doi.org/10.1007/s12355-019-00743-8

2. Wrage J, Burmester S, Kuballa J, Rohn S. Coconut
sugar (Cocos nucifera L.): Production process;
chemical characterization, and sensory properties.
LWT Food Sci Tecnol. 2019;112:108227. https://doi.
org/10.1016/j.lwt.2019.05.125

3. Hebbar KB, Arivalagan M, Manikantan MR,
Mathew AC, Thamban C, Thomas GV et al. Coconut
inflorescence sap and its value addition as sugar–
collection techniques, yield, properties and market
perspective. Curr Sci. 2015;109(8):1411-7. https://doi.
org/10.18520/v109/i8/1411-1417

4. Sumarni W, Sudarmin, Wiyanto, Supartono. The
reconstruction of society indigenous science into
scientific knowledge in the production process of
palm sugar. J Turkish Sci Educ. 2016;13(4):281-92.
Disponível em: https://www.tused.org/index.php/
tused/article/view/168

5. Ananda Ventures - Social Venture Fund. Sweetening
the pot developing the market for palm & coconut
sugar in southeast Asia. Grow Asia [Internet].Junho de 2017; 98p.
Disponível em http://exchange.
growasia.org/system/files/Sweetening%20the%20
Pot-PalmCocoSugarSoutheastAsia_Final.pdf

6. Philippine Coconut Authority (Quezon City -
Philippines). Coconut Sap Sugar. Technology Series
No. 1. Philippines: Philippine Coconut Authority; 2012.
Disponível em: http://www.pca.da.gov.ph/coconutrde/
images/sugarpdfs/CocoSugarFlyer.pdf

7. Bureau of Agriculture and Fisheries Standards -
Philippine National Standard (Quezon City: Philippines).
Code of Hygienic Practice for Coconut Sap Sugar.
Philippines: Bureau of Agriculture and Fisheries
Standards; 2015. Disponível em: https://members.wto.
org/crnattachments/2015/SPS/PHL/15_2906_00_e.pdf

8. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de
Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 259, de 20 de
setembro de 2002. Aprovar o Regulamento Técnico
sobre Rotulagem de Alimentos Embalados. Diário
Oficial da União. Brasília, DF, 23 set 2002. Seção
1(184):33-4. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/
bvs/saudelegis/anvisa/2002/rdc0259_20_09_2002.html

9. Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de
Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 14, de 28
de março de 2014. Dispõe sobre matérias estranhas
macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas,
seus limites de tolerância e dá outras providências.
Diário Oficial da União. Brasília, DF, 31 mar 2014. Seção
1(61):58-61. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/
bvs/saudelegis/anvisa/2014/rdc0014_28_03_2014.pdf

10. Rodrigues MMS, Atuí MB, Correia M. Métodos de
análise microscópica de alimentos: isolamento de
elementos histológicos. São Paulo: Letras & Letras; 1999.

11. CBI (Netherlands). Palm Sugar in Germany.
Ministry of Foreign Affairs. Netherlands: CBI; 2016.
Disponível em: https://www.importpromotiondesk.
de/fileadmin/user_upload/Publikationen/factsheet/
zutaten/palm-sugar-in-germany.pdf

12. Somawiharja Y, Wonohadidjojo DM, Kartikawati M,
Suniati FRT, Purnomo H. Indigenous technology of
tapping, collecting and processing of coconut (Cocos
nucifera) sap and its quality in Blitar Regency, East
Java, Indonesia. Food Res. 2018; 2(4):398-403. https://
doi.org/10.26656/fr.2017.2(4).075

13. Xia Q, Li R, Zhao S, Chen W, Chen H, Xin B et al.
Chemical composition changes of post-harvest coconut
inflorescence sap during natural fermentation. Afr
J Biotechnol. 2011;10(66):14999-15005. https://doi.
org/10.5897/AJB10.2602

14. Teerink BJ. Hair of West-European Mammals.
Cambridge (UK): Cambridge University Press;1991.

15. Kurniawati E, Karimah RN, Suryana AL, Destarianto
P. Implementation of good manufacturing practice
(GMP) on coconut palm sugar processing at craftsmen
business group in Wonosobo-Banyuwangi Village as
Helicos Center. The Second International Conference
on Food and Agriculture, 2019. Bali (ID): Proceedings
of The Second International on Food and Agriculture;
2019.p.127-34.
Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2020 Laís Fernanda de Pauli-Yamada, Cinthia Iara de Aquino, Maria Aparecida Moraes Marciano, Augusta Mendes da Silva, Márcia Nogueira Dimov

Downloads

Não há dados estatísticos.