Reação reversa macular da hanseníase: relato de caso

Autores

  • Flávia Cury Rezende Flávia Cury Rezende: Residente da Faculdade de Medicina do ABC – FMABC.
  • Beatrice Martinez Zugaib Abdalla Acadêmica da Faculdade de Medicina do ABC.
  • Cintia Botelho Silveira Médica especialista em dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.
  • Priscilla Guedes Pecoroni de Almeida Associada titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
  • Fernanda Fagioli Bombonatti Associada titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia.
  • Lúcia Ito Professora auxiliar de ensino da disciplina de dermatologia da Faculdade de Medicina do ABC – FMABC.
  • Carlos d’Apparecida Santos Machado Filho Professor Titular da disciplina de dermatologia da Faculdade de Medicina do ABC - FMABC, doutor em dermatologia pela Escola Paulista de Medicina.

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.2014.v39.36188

Palavras-chave:

Hanseníase, Hanseníase Multibacilar

Resumo

A reação reversa maculosa consiste no aparecimento abrupto de máculas hipocrômicas, ocorrendo em pacientes hansenianos dimorfos que completaram o tratamento com poliquimioterapia para hanseníase multibacilar. Em geral, surgem entre 6 a 12 meses da alta, com baciloscopia negativa e boa resposta a corticoterapia sistêmica. Ressaltamos a dificuldade em diferenciar recidiva de um episódio reacional, já que não existem critérios clínicos bem estabelecidos que possibilitem este diagnóstico, além de existirem poucos relatos em literatura. Relatamos um caso clínico com diagnóstico de reação reversa macular após período variável de alta do tratamento de hanseniase dimorfa-dimorfa. Foi feita investigação por meio de anamnese rigorosa, exame dermatológico, exame histopatológico da lesão e baciloscopia, excluindo-se os critérios de recidiva, além de analisados dados anteriores do prontuário. O paciente foi submetido a corticoterapia sistêmica, apresentando melhora das lesões. Conclui-se que a reação reversa maculosa deve ser lembrada nos diagnósticos diferenciais com hanseníase recidivada e episódios reacionais clássicos, evitando retratamentos desnecessários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1 Mendonça VA, Costa RD, Brito-Melo GE, Antunes CM, Teixeira AL. Imunologia da hanseníase. An Bras Dermatol. 2008;83(4):343-50.
2 Gallo MEN, Oliveira MLW. Recidivas e reinfecção em hanseníase. Medicina, Ribeirão Preto. 1997;30:351-7.
3 Kabawita IP, Walker SL, Lockwood DNJ. Leprosy type 1 reactions and erythema nodosum leprosum. An Bras Dermatol. 2008;83(1):75-82.
4 Nery JAC, Sales AM, Illarramendi X, Duppre NC, Jardim MR, Machado AM. Contribuição ao diagnóstico e manejo dos estados reacionais. An Bras Dermatol. 2006;81(4):367-75.
5 Adhe V, Dongre A, Khopkar U. A retrospective analysis of histopathology of 64 cases of lepra reactions. Indian J Dermatol. 2012;57(2):114-7.
6 Oliveira MLW, Gomes MK, Pimentel MIF, Castro MCR. Reação reversa macular pós-alta de poliquimioterapia multibacilar. Hansen Int. 1996;21(1):46-51.
7 Ministério da Saúde (BR). Guia para o Controle da hanseníase. 3a ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2002.
8 Souza LWF. Reações hansênicas em pacientes em alta por cura pela poliquimioterapia. Rev Soc Bras Med Trop. 2010;43(6):737-9.
9 Teixeira MAG, Silveira VM, França ER. Características epidemiológicas e clínicas das reações hansênicas em indivíduos paucibacilares e multibacilares, atendidos em dois centros de referência para hanseníase, na cidade de Recife, estado de Pernambuco. Rev Soc Bras Med Trop. 2010;43(3):287-92.
10 Foss NT. Episódios reacionais na hanseníase. Medicina, Ribeirão Preto, 2003;36:453-9.
11 Shereef PH. Hypopigmented macules in leprosy – a histopathological and histochemical study of melanocytes. Indian J Lepr. 1992;64(2):189-91.
12 Prabhakaran K. Hypopigmentation of skin lesions in leprosy: a hypothesis. Lepr India. 1977 Jul;49(3):462-3.
13 Nayar A, Job CK. A study of epidermal melanocytes in the hypopigmented patches of leprosy. India J Med Res. 1970;58(2):187-93.

Downloads

Publicado

30-11-2014

Como Citar

1.
Rezende FC, Abdalla BMZ, Silveira CB, Almeida PGP de, Bombonatti FF, Ito L, Machado Filho C d’Apparecida S. Reação reversa macular da hanseníase: relato de caso. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 2014 [citado 25º de abril de 2024];39(2):70-4. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36188

Edição

Seção

Seção anátomo-clínica