Hanseníase e a nutrição: uma revisão da literatura

Autores

  • Carolina Penteado Guerra Silva Mestre UNIFRAN - (Coordenadora de curso).
  • Maria Cristina Oliveira Santos Miyazaki Doutora em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo, Brasil.

Palavras-chave:

Hanseníase, Hábitos Alimentares, Estado Nutricional, Recomendações Nutricionais

Resumo

O presente estudo é uma revisão da literatura sobre hanseníase e nutrição, mostrando a importância do estado nutricional de hansenianos na melhoria da resposta ao tratamento. Foram selecionados estudos sobre hanseníase e nutrição em livros técnicos e artigos publicados no período de 2009 a 2013 utilizando-se as bases de dados Medline, LILACS, SciELO, PubMed e Bireme. Os achados do presente estudo evidenciam a importância de se avaliar estado nutricional e hábitos alimentares de pacientes portadores de hanseníase. Esses pacientes possuem déficits nutricionais em relação a dados antropométricos e a ingestão de nutrientes, que aumentam sua vulnerabilidade para baixa imunidade e consequentemente o agravo da doença. Há necessidade de novos estudos na área, pois existe uma carência de informações sobre o assunto. A implementação de programas de reeducação alimentar, educação nutricional e hábitos de vida saudáveis relacionados à promoção da saúde em pacientes com hanseníase são necessários.

Referências

1 World Health Organization. Leprosy update 2011.Wkly Epidemiol Rec.2011; 86(36):389-400.
2 Palácios VRCM, Dias RS, Neves DCO. Estudo da situação da hanseníase no estado do Pará. Rev Para de Med. 2010;24(2):49-56.
3 Meyer TN. Casa de Saúde Santa Fé: breve história de uma ex-colônia de hanseníase. Rev. Med Minas Gerais. 2010;20(4):612-21.
4 Lustosa AA. O Impacto da hanseníase na qualidade de vida relacionada à saúde. [dissertação]. Teresina: Universidade Federal do Piauí; 2011.
5 Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Situação Epidemiológica da Hanseníase no Brasil-2012 . Brasília: Ministério da Saúde; 2013.
6 Lima HMN, Sauaia N, Costa VRL, Coelho Neto GT, Figueiredo PMS. Perfil epidemiológico dos pacientes com hanseníase atendidos em centro de saúde em São Luís, MA. Rev Bras Clin Med. 2010; 8(4) : 323-327.
7 Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Vigilância em Saúde. Hanseníase no Brasil: dados e indicadores selecionados. Brasília: Ministério da Saúde; 2009.
8 Montenegro RMN., Molina M.DC, Moreira M, Zandonade E. Avaliação nutricional e alimentar de pacientes portadores de hanseníase tratados em unidades de saúde da grande Vitória, Estado do Espírito Santo. Rev Soc Bras Med Trop. 2011; 44(2):228-31.
9 Costa EA. Manual de fisiopatologia e nutrição. 5ª ed. Petrópolis: Vozes; 2010.
10 Oliveira FM. Perfil sérico de estresse oxidativo, antioxidantes e micronutrientes em pacientes com hanseníase. [dissertação]. Araraquara: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; 2012.
11 Baldan SS. O Hanseniano: uma aproximação na perspectiva de promoção de saúde. [dissertação]. Franca: Universidade de Franca, 2010.
12 Duarte MTC, Ayres JA, Simonetti JP. Consulta de enfermagem: estratégia de cuidado ao portador de hanseníase em atenção primária. Texto & Contexto Enferm.2009;18(1):100-7.
13 Opromolla PA, Laurenti R. Controle da hanseníase no Estado de São Paulo: análise histórica. Rev. Saúde Pública. 2011;45(1):195-203.
14 Frota CC, Freitas MVC, Foss NT, Lima LNC, Rodrigues LC, Barreto ML, et al. Seropositivity to anti-phenolic glycolipid-l in leprosy cases, contacts and no known contacts of leprosy in an endemic and a non-endemic area in northeast Brazil. Trans R Soc Trop Med Hyg. 2010;104(7):490-5.
15 Magalhães MCC, Santos ES, Queiroz ML, Lima ML, Borges RCM, Souza MS, et al. Migração e hanseníase em Mato Grosso. Rev. Bras. Epidemiol. 2011;14(3):386-97.
16 Secretaria de Estado da Saúde (Santa Catarina), Diretoria de Vigilância Epidemiológica. Aspectos Epidemiológicos da Hanseníase. [Internet]. SantaCatarina: [Editor desconecido]; 2010.[citado em 2013 Dez 02] Disponível em: http://www.dive.sc.gov.br/conteudos/agravos/hanseniase/aspectos_epidemiologicos_hanseniase_2010.pdf.
17 Ministério da Saúde (BR) Secretaria de Vigilância em Saúde. Distribuição da Hanseníase no Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.
18 World Health Organization. Leprosy elimination. Programmes and projects, 2012. [Internet]. Geneva: WHO; [citado em 2013 Nov 28] Disponível em: <http://www.who.int/lep/en/.
19 Faria OM, Silva BRC, Oliveira EM, Dumont PNM. Evolução epidemiológica e métodos diagnósticos da hanseníase no Brasil. In: Anais do 12o Congresso Brasileiro de Medicina de família e Comunidade; 29 mai 2013; Belém. Riode Janeiro: Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade; 2013. p.1296
20 Werneck GL, Hasselmann MH, Gouvêa TG. Panorama dos estudos sobre nutrição e doenças negligenciadas no Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2011;16(1):39-62.
21 Loureiro AS, Souza AS. Nutricionistas na atenção primária: necessidade para prevenção e controle de alterações nutricionais e riscos metabólicos. Nutrire. 2013; 38(Supl):155.
22 Vázquez CMP, Ameida RP, Jesus AMR, Duthie MS, Lins SD., Mendes RS Neto. Avaliação do estado nutricional em pacientes com hanseníase. Hansen Int. 2011;36(1 Supl):51.
23 Almeida JC, Vilela LS, Silva SCC, Neves TS. Avaliação do estado nutricional de pacientes portadores de hanseníase em consumo de peixes. Nutrire. 2011;36(Supl):217.
24 Wordlaw GM, Smith AM. Nutrição Contemporânea. 8ª ed. Porto Alegre: Artmed; 2013.
25 Cozzolino SMF. Biodisponibilidade de nutrientes. 4ª ed. Barueri: Manole; 2012.
26 Escott-stump S, Mahan KL, Raymond JL. . KRAUSE – alimentos, nutrição e dietoterapia. 13ª ed. Rio de Janeiro: evier; 2013.
27 Machado CH, Carmo AS, Horta PM, Lopes ACS, Santos LC. Efetividade de uma intervenção nutricional associada à prática de atividade física. Cad Saúde colet. 2013;21(2):148-53.
28 Girish S. Role of antioxidante vitamins in imune function in leprosy. Pharmacie Globale:International Journal of Comprehensive Pharmacy. 2011;2(8):1-3.
29 Papp LV., Holmgren A., Khanna K.K. Selenium and selenoproteins in health and disease. Antioxid Redox Signal. 10:12(7):793-5.
30 Haig C. Alimentos para a imunidade: 100 receitas eficientes e fáceis de preparar que aumentam a sua resistência. 2ed. São Paulo: Publifolha; 2009.
31 Lyon S., Grossi, MAF. Hanseníase. Rio de Janeiro: MedBook; 2013.

Downloads

Publicado

30-11-2012

Como Citar

1.
Silva CPG, Miyazaki MCOS. Hanseníase e a nutrição: uma revisão da literatura. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 2012 [citado 5º de outubro de 2022];37(2):69-74. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36198

Edição

Seção

Artigos de revisão