Hanseníase em gêmeos de 3 anos em Mato Grosso, Brasil

a importância da baciloscopia no diagnóstico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.2022.v47.36227

Palavras-chave:

Hanseníase, Pré-escolares, Baciloscopia, Diagnóstico precoce

Resumo

Introdução: o diagnóstico clínico da hanseníase em crianças é particularmente difícil. Relato de Caso: crianças gêmeas bivitelinas, com três anos de idade, eram contactantes de pai com hanseníase Virchowiana. Os dois pacientes têm lesões cutâneas bem definidas e irregulares, anteriormente tratadas como micoses e uma cicatriz de BCG. Foram confirmados positivos para Mycobacterium por análise histopatológica da pele. Discussão: especialmente, com menos de cinco anos, os diagnósticos de hanseníase são raros e difíceis porque simulam outras doenças. Esses diagnósticos são alarmes epidemiológicos para áreas endêmicas e mostram a importância dos sintomas em crianças e o rastreamento nos contactantes dos pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

White C, Franco-Paredes C. Leprosy in the 21st century. Clin Microbiol Rev. 2015;28(1):80-94. doi: https://doi.org/10.1128/CMR.00079-13.

Ministério da Saúde (BR). Boletim Epidemiológico Hanseníase 2022. Brasília: Ministério da Saúde; 2022. [citado 1 fev 2022]. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/boletins/epidemiologicos/especiais/2022/boletim-epidemiologico-de-hanseniase-_-25-01-2022.pdf.

Amador MPSC, Barros VRS, Albuquerque PJBS, Buna MIF, Campos JM. Childhood leprosy in the Curionópolis district: southeastern Pará state: a case report. Hansen Int. 2001[cited 2021 Jul. 12];26(2):121-5. Available from: https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/hansenologia/article/view/36407/34679.

Fischer M. Leprosy: an overview of clinical features, diagnosis, and treatment. J Dtsch Dermatol Ges. 2017;15(8):801-827. doi: https://doi.org/10.1111/ ddg.13301.

Ridley DS, Jopling WH. Classification of leprosy according to immunity: a five-group system. Int J Lepr Other Mycobact Dis. 1966[cited 2021 Jul. 12];34(3):255-273. Available from: http://ila.ilsl.br/pdfs/v34n3a03.pdf.

Pereira HL, Ribeiro SL, Pennini SN, Sato EI. Leprosy-related joint involvement. Clin Rheumatol. 2009;28:79-84. doi: https://doi.org/10.1007/s10067-008-0986-x.

Ribeiro SLE, Pereira HLA, Silva NP, Sato EI. Autoantibodies in leprosy patients, with and without joint involvement, in the state of Amazonas. Rev Bras Rheumatol. 2009;49(5):547-553. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042009000500006.

Ruiz-Fuentes JL, Rumbaut Castillo R, Hurtado Gascón LC, Pastrana F. Leprosy in children: a Cuban experience on leprosy control. BMJ Paediatr Open. 2019;3(1):e000500. doi: https://doi.org/10.1136/bmjpo-2019-000500.

Santino LS, Barreto JA, Martins ALGP, Alves FS. Hanseníase dimorfa reacional em criança. Hansen Int. 2011[citado 12 jul 2021];36(1):51-7. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/index.php/hansenologia/article/view/35114/33588.

Publicado

15-11-2022

Como Citar

1.
Lopes JC, de Osti PA, Cavalcante LR da S, Gomes CM, Damazo AS. Hanseníase em gêmeos de 3 anos em Mato Grosso, Brasil: a importância da baciloscopia no diagnóstico. Hansen. Int. [Internet]. 15º de novembro de 2022 [citado 22º de abril de 2024];47:1-7. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36227

Edição

Seção

Estudos clínicos