Projeto experimental de controle da hanseníase na cidade de Bauru-SP - avaliação do primeiro ano de implementação

Autores

  • Vladimir Fiori BONILHA Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Dirceu DALPINO Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Raul Negrão FLEURY Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • José Antonio GARBINO Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Aguinaldo GONÇALVES Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Rita Puppo GONÇALVES Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Flávio MARQUES Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Sadamitsu NAKANDAKARI Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Diltor Vladimir Araújo Opromolla Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Claudio TONELO Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.
  • Somei URA Membro da equipe técnica do Instituto Lauro de Souza Lima, Secretaria Estadual de Saúde, Bauru, SP.

Palavras-chave:

Hansen fase, Avaliação

Resumo

A cidade de Bauru constitui-se em instância de particular interesse para estudos populacionais da endemia hansênica. Do ponto de vista da organização dos serviços de saúde, sua peculiaridade consiste em sediar o Instituto °Lauro de Souza Lima", antigo Sanatório Aimorés, que,
nos últimos sessenta anos vem reunindo especialistas de nomeada internacional no referente ao manejo intra-hospitalar da infecção: epidemiologicamente, registram-se taxas de incidência e prevalência da moléstia expressivamente baixas em relação à realidade nacional.
Em associação com as recentes recomendações da Organização Mundial da Saúde e da VIII Conferência Nacional de Saúde, na direção da regionaliza cão e da hierarquização da prestação da atenção médica e das medidas de controle das doenças, iniciou-se neste âmbito, projeto
experimental de intervenção, caracterizada pela articulação direta da referida instituição com a rede de unidades básicas da cidade. A duração da fase de validação do programa foi anual. Trabalhando-se a partir das metas operacionais definidas coletivamente pelos responsáveis das respectivas áreas técnicas (clínica, terapêutica, recursos humanos, baciloscopia, histopatologia, saúde coletiva, reabilitação e coordenação), procede-se à primeira avaliação exploratória consolidada. Tais informações sinalizam, no âmbito epidemiológico, no sentido de que o iceberg" da
moléstia constitua base expressivamente mais alargada que o admitido correntemente; em relação à organização dos serviços, exteriorizam indicações que lacunas e gargalos importantes podem ser superados por gestões intra-setoriais locais. O reordenamento institucional mais amplo
parece constituir-se, complementarmente, em determinante destacado.

Referências

1. ABRASCO -Anais II Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. Rio deJaneiro, Associação Brasileira de Saúde Coletiva, 1986.
2. BARROS - O conceito sanitário da lepra através das conclusões dos Congressos Internacionais. Texto docente, disciplina de Dermatologia Sanitária, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo, 1973.
3. ESPÍRITO SANTO - A.C.G. & GONÇALVES, A. -Administração sanitária local: fundamentos para uma abordagem básica. Rev. Assoc. Med. bras. 36(3/4) 137 - 153, 1990.
4. GONÇALVES, A. - Epidemiologia e controle da hanseníase, Brasil. Sol. Ofic. Sanit. Pan. 102(3): 246 - 256, 1987.
4. GONÇALVES, A.; PEDROSO, M.; OLIVEIRA, S. & BACCARELLI, R. - Dificuldades e sugestões para implantação de atividades de prevenção de incapacidades em serviços de controle da hanseníase no Brasil. Rev. bras. Med 45(10): 422-426, 1988.
5. GONÇALVES, A.; PADOVANI, C.R.; PEDROSO, M.; BACCARELLI, R. & OLIVEIRA, S. - Prevenção e tratamento das incapacidades físicas em hanseníase:
estudo da evolução em nosso meio, com ênfase na avaliação de determinantes de sua efetividade. Rev. bras. Med. 46(7): 269 - 284, 1989.
7. GONÇALVES, N.N.S. - Recursos humanos em hanseníase. Hansen. Int. 11(1/2) 55-73, 1986.
8. NEMES, M.J.B. -Ação programática em Saúde: recuperação histórica de uma política de Programação. IN SCHRAIBER, L.B. - Programacão em Saúde hoje. São Paulo, Hucitec, 1990.
9. OLIVEIRA, S.; PEDROSO, M; BACCARELLI, R. & GONÇALVES, A. - Adequação de procedimentos de instrumentalização de dados em prevenção e tratamento de incapacidades físicas em hanseníase. Rev. Hosp. Clín. Fac. Med. S. Paulo. 45(2): 75-79, 1990.
10. OPROMOLLA, D.V.; NOBREGA, R.C.; GONÇALVES, N.N.S.; PADOVANI, S.H.P.; PADOVANI, C.R. & GONÇALVES, A. - Estimativa da prevalência da hanseníase através de investigação em demanda inespecífica de agências de Saúde. Rev. S. Públ. 24(3): 178-185, 1990.
11. OPS (ORGANIZATION PANAMERICANA DE LA SALUD) - La práctica epidemiológica en los sistemas de servidos de Salud. Bol. Epidemiol. 11(3): 1 - 8, 1990.
12. PEDROSO, M.; OLIVEIRA, S.; BACCARELLI, R.; VIEIRA, P.C. & GONÇALVES, A. - Incapacidades físicas em hanseníase: estudo multicêntrico da realidade brasileira. An. bras. Dermatol. 64(3): 301-306, 1989.
13. SÃO PAULO - PROGRAMAÇÃO DE SAÚDE DA COORDENADORIA DE SAÚDE DA COMUNIDADE. São Paulo, Secretaria Estadual de Saúde, s.d.
14 .MOND, M. ; DUE RK S EN, F . & GONÇALVES, A. - Report and evaluation of Brazilian experience in the rehabilitation of patients with leprosy. Lep. Rev. 60: 214-220, 1989.

Downloads

Publicado

30-11-1994

Como Citar

1.
BONILHA VF, DALPINO D, FLEURY RN, GARBINO JA, GONÇALVES A, GONÇALVES RP, MARQUES F, NAKANDAKARI S, Opromolla DVA, TONELO C, URA S. Projeto experimental de controle da hanseníase na cidade de Bauru-SP - avaliação do primeiro ano de implementação. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 1994 [citado 26º de novembro de 2022];19(2):11-8. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36506

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 5 6 7 8 9 10 11 12 > >>