Sobre a Revista

Nasce em 1933 a Revista Brasileira de Leprologia, que constituiu a larga base e a plataforma de lançamentos da moderna doutrina da hanseníase. Em 1975, a partir de proposta feita pelo Dr. Abraão Rotberg de transformar e renomear a Revista Brasileira de Leprologia, surge a atual Hansenologia Internationalis. Desta feita, no primeiro fascículo, 1976;1(1):3-6, encontramos as cartas de incentivo do Secretário Estadual da Saúde e do Ministro da Saúde além de congratulações dos grandes cientistas da área.

Acompanhando o desenvolvimento científico, no decorrer dos anos a revista foi se aperfeiçoando, tendo como marcos recentes:

  • ano de 2009 - a revista deixa de ser impressa e passa a ser disponibilizada somente no formato on-line, com acesso livre, fato que proporcionou levar informação de qualidade a um maior número de interessados;
  • no ano de 2018 - começa publicar suas numerações de forma contínua, visando agilizar o processo de comunicação e divulgação das pesquisas;
  • em 2021, como integrante do Portal de Revistas Científicas da Secretaria da Saúde de São Paulo, adota o sistema Open Journal System (OJS) que é um software livre para gerenciamento e publicação de periódicos científicos.

Atualmente, Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas é a única publicação corrente brasileira e latino-americana que tem como temática principal Hanseníase, sendo uma das poucas revistas científicas no mundo do gênero com circulação regular e com todos os fascículos disponibilizados na íntegra em formato on-line, de acesso gratuito.

OBJETIVO E POLÍTICA EDITORIAL

A Revista  Hansenologia Internationalis: hanseníase e outras doenças infecciosas  é órgão oficial do Instituto Lauro de Souza Lima, pertencente à Coordenadoria de Serviços de Saúde da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Sua publicação é contínua e visa à divulgação de trabalhos científicos no campo da hanseníase e de outras doenças infecciosas, além de proporcionar interação entre todos aqueles que lutam pelo controle dessas doenças. Publica trabalhos científicos de pesquisadores nacionais ou estrangeiros que se enquadrem no escopo da Revista e em suas exigências redatoriais, também aceita contribuições nas categorias pertinentes à estrutura da revista, exceto Editoriais que serão publicados por solicitação do Conselho Editorial.

A revista está estruturada da seguinte forma:   

  1. Editorial; 
  2. Artigos originais;
  3. Artigos de revisão;
  4. Estudos de Casos Clínicos;
  5. Pontos de vista;
  6. Cartas ao editor. 

Só serão encaminhados ao Conselho Editorial os manuscritos que estejam rigorosamente de acordo com as normas especificadas nas diretrizes aos autores, disponíveis na aba Submissão. Manuscritos que não se enquadrem nas normas editoriais serão imediatamente recusados.