Leitura clinica e histológica da Reação de Mitsuda em comunicantes consanguineos e não consanguineos de pacientes com formas baciliferas da hanseníase

Autores

  • Maria Angela Blanooncini TRINDADE Médica da Divisão de Hansenologla e Dermatologia Sanitária do instituto de Saúde, São Paulo,SP.
  • Raul Negrão FLEURY Pesquisador do Instituto Lauro de Souza Uma Bauru, SP.
  • Valéria PETRI Professora Adjunto da Escola Paulista de Medicina - São Paulo, SP.

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.1991.v16.35226

Palavras-chave:

Hanseníase, Reação de Mitsuda, Histologia

Resumo

Testes de Mitsuda avaliados clínica e histologicamente foram realizados em 17 consanguíneos próximos e em 23 não consanguíneos que eram comunicantes sadios de pacientes com as formas bacilfferas da hansenfase. A proporção de reaches histologicamente negativas entre os comunicantes consanguíneos (35,3%) foi significativamente maior do que a observada entre os comunicantes não consanguíneos (8,7%). Reações de Mitsuda clinicamente positivas (3)e duvidosas (1) sem  correspondôncia histológica foram encontradas entre os comunicantes consanguíneos, mas não entre os comunicantes não consanguíneos de hansenianos. Esses dados indicam que uma reação de Mitsuda positiva somente pode ser atribuída a comunicantes consanguíneos de pacientes com as formas bacillferas da hanseníase se ela tiver comprovação histológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1 ANDRADE, L.M.C. Comparação entre os aspecto microscópicos do teste leprominico. Bol. Serv. Nac. Lepra, 21:95-124, 1962.
2 AZULAY, R.D.; ANDRADE, LM.C.; SILVA, C.; RABELLO NETO, A.V.; AZULAY, J.D.; GARRIDO-NEVES, R.; MIGUEZ- ALONSO,A. Comparison of the macro- scopic and microscopic findings of the lepromin reaction. Mt. J. Lepr., 2838- 43, 1960.
3 BECHELLI, L. M.; RATH DE SOUZA, P.; QUAGLIATO, R Correlação entre os resultados da leitura clinica e do exame histopatologico da reação de Mitsuda. Rev. Bras. Leprol., 27.172-182, 1959.
4 BEIGUELMAN, B. Curso Prático de Bloestattstica. Revista Brasileira de Genética. Ribeirão Preto, 224p., 1988.
5 BEIGUELMAN, B. An appraisal of genetic studies in leprosy. Acta Genet. Med. Gemellol., 21:21- 52, 1972.
6 BEIGUELMAN, B. Lepromin reaction. Genetic studies Including twin pair analy- sts. ActaLeprol., *L5-65,1971.
7 BEIGUELMAN, B.; SOUZA CAMPOS, N.E.; PINTO JR., W. Fatores genéticos e efeito da calmetização na reação de Mitsuda. Rev. Paul. Med., 71, 1967.
8 BEIGUELMAN, B. & QUAGLIATO, R. Nature and familial character of the lepromin reaction. Mt. J. Lepr., 33:800-907, 1966.
9 BEIGUELMAN, B. The genetics of the resistance to leprosy. Mt. J. Lepr. 33:808- 812, 1965.
10 BEIGUELMAN, B. Hereditariedade da reação de Mitsuda. Rev. Bras. Leprol., 30:153- 172, 1962.
11 BLOOM, B.R.; CONVIT, J.; GODAL, T.; NORDEEN, S.K.; PERKINS, F.T.; REES, R.J.W.; SANSARRICO, H.; SHEPARD, C.C.; TORRIGIANI, S.; WALTER, J. Recommended safety requirimento for the preparation of leprom in: a WHO memorandum. Bull VV.H.O., 57:921-923, 1979.
12 FARACO, J. Bacilos de Hansen e cortes de parafina: método complementar para a pesquisa de bacilos de Hansen em cortes de
material inclutdo em parafina. Rev. Bras. Leprol. 6.177-180, 1938.
13 FITE, G.L; CAMBRE, P.J.; TURNER, M.H. Procedure for demonstrating lepra bacilli in paraf in sections. Arch. Path., 43.624- 625,1947.
14 FLEURY,R.N Comunicação pessoal. 1987.
15 HADLER, W.A. & ZITI, LM. Estudo da reação da lepromina no rato previamenteinoculado com M.lepraemurium e com
M. tuberculosis (BCG). Rev. Bras. Leprol., 25:53-75, 1955.
16 KUNDU, S.K.; GHOSH, S.; HAZRA, S.K.; CHAUDHURY, S. Nature and familial characterof lepromin sensitivity In 27 families and
their siblings. Lepr. India, 51:465-474, 1979.
17 ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Guia para la lucha antileprosa. Genebra, 110p. 1980.
18 PETRI, V.; MENDES, E.V.; BEIGUELMAN, B. Histology of the Mitsuda reaction of healthy adults with no know contacts with leprosy
patients. Int. J. Lepr., 53.540- 545, 1985.
19 SAHA, K. &AGARWAL, S. K. Immune deficit In patients with lepromatous leprosy: Its nature and relation to genetic factors, spectrum, and duration of the illness. Int. J. Lepr. 47:1-6, 1979.

Downloads

Publicado

30-11-1991

Como Citar

1.
TRINDADE MAB, FLEURY RN, PETRI V. Leitura clinica e histológica da Reação de Mitsuda em comunicantes consanguineos e não consanguineos de pacientes com formas baciliferas da hanseníase. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 1991 [citado 6º de dezembro de 2023];16(1/2):16-22. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/35226

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>