Septicemia com múltiplas lesões ósseas supurativas como complicação do eritema nodoso hansênico

Autores

  • Raul Negrão FLEURY Diretor do Serviço de Epidemiologia do Instituto Lauro de Souza Lima. Professor Assistente-Doutor do Departamento de Patologia da Faculdade de Odontologia de Bauru, USP.
  • Diltor Vladimir Araújo OPROMOLLA Diretor da Divisão de Pesquisa e Ensino do Instituto Lauro de Souza Lima, Bauru, SP, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.1990.v15.35505

Palavras-chave:

Hanseníase virchoviana, Eritema nodoso hansênico, Septicemia

Resumo

Um homem de 57 anos de idade, relata história de hanseníase.com 26 anos de duração e ainda em atividade. Desde a primeira consulta ao Hospital apresenta episódios de Eritema nodoso hansênico (ENH), frequentes, intensos, muitas vezes  companhados por neurites, adenomegalia, icterícia e anemia. Desenvolveu lesões ulcerativas de extremidades inferiores e superiores que evoluiram para infecção secundária, necrose e exposição de planos músculo-tendinosos e ósseos. Na última internação apresentou ainda episódios de ENH, mas predominou quadro clínico caracterizado por abscessos de regiões glúteas; dores ósseas ao nível dos membros inferiores, crista ilíaca direita e tórax; dificuldade à micção com progressiva diminuição do volume urinário; picos febris eventuais; melena; distensão abdominal e nos últimos dias dificuldade respiratória. Os exames laboratoriais evidenciaram queda de hemoglobina (10,7-5,1 g%), queda dos leucócitos no sangue (9.900-3.700 mm3); osteoporose vertebral com colapso parcial dos corpos vertebrais D4, D5, D11 e sinais de osteomielite em tíbia e perônio. Na autópsia observou-se um paciente virchoviano em estado regressivo adiantado, com pequena quantidade de bacilos granulosos em troncos nervosos e linfonodo axilar. Não se detectaram lesões ativas de ENH em pele, nervos e vísceras, havendo apenas um foco de necrose e supuração em organização em linfonodo axilar. O paciente faleceu em choque séptico decorrente de  múltiplas lesões necrotizantes e supurativas em corpos vertebrais, arcos costais e clavículas. A rotura de um abscesso costal no hemitórax direito levou à pleurite sero-fibrino-purulento, intensa. Observou-se trombose de veia axilar direita, de veia cava inferior junto à desembocadura de suprahepática, e trombose do átrio direito; colite aguda úlcero-flegmonosa e necrotizante ao nível do ceco; nódulo de Criptococose em pulmão esquerdo, e hiperplasia nodular da próstata. Discute-se a relação entre ENH e instalação do quadro séptico, lembrando-se a possibilidade de infecção secundária nas lesões cutâneas de ENH, de exaustão da resistência imune frente a episódios sub-entrantes de ENH, e ação dos corticoesteróides na queda de resistência à microorganismos patógenos habituais ou oportunistas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. CONVIT, J. & ULRICH, M. Recent advance in the immunology of leprosy. Int. J. Dermatol.. 15:157-170, 1976.
2. FLEURY, R.N. Manifestações sistêmicas. In: TALHARI, S. & GARRIDO NE VES, R. Hanseníase. 2.ed. Manaus, Instituto Superior de Estudos da Amazônia, 1989. cap.6, p.73-77.
3. FLEURY, R.N. & BASTAZINI, I. Reação hansênica com lesões. viscerais. (seções anátomo-clínicas). Hansen. Int., 3:87-93, 1978.
4. FLEURY, R.N.; BASTAZINI, I.; TONELLO, C.S. Embolia pulmonar no decurso de reação hansênica; (seção anátomoclínica. Hansen. Int. 2:178-183, 1977.
5. FLEURY, R.N. & OPROMOLLA, D.V.A. Hanseníase virchoviana, Fenômeno de Lúcio, Criptococose (Seção anátomoclínica). Hansen. Int.. 3:47-56,1978.
6. FLEURY, R.N.; OPROMOLLA, D.V.A.; TONELLO, C.S. Meningoencefalite por Cryptococcus neoformans como compli cação de insuficiência vascular arteriosclerótica em hanseníase virchoviana. Hansen. Int.. 6:146-153, 1988.
7. FLEURY, R.N.; TONELLO, C.S.; URA, S.; ZORZETO, V. Hansen rase dimorfa com surtos de reação hansênica e lesões viscerais. Hansen. Int.. 4:116-125, 1979.
8. ROBBINS, S.L. & COTRAN, R.S. Pathologic basis of disease. 2.ed. Philadelphia, W.B. Saunders, 1979. p.1483-1486.
9. SHEAGRAN, L.N. Staphylococcal infections. In: WYNGAARDEN,J.B. &SMITH, L.H. Cecil textbook of medicine. 17.ed. Philadelphia, W.B Saunders, 1985. p. 1546-1547.
10. SOOTHILL, J.F. Immunity deficiency states. In: GELL, P.G.H.; COOMBS, R.R.A.; LACHMANN, P.J. Clinical of immunology. 3.ed. Oxford, Blackwell Scientific Publ., 1975. p.668-672.
11. WALDVOGEL, F.A. Osteomyelitis. In: Wyngaarden, J.B. & SMITH, L.H. Cecil textbook medicine. 17.ed. Philadelphia, W.B. Saunders, 1985. p.1566-1568.

Downloads

Publicado

30-11-1993

Como Citar

1.
FLEURY RN, OPROMOLLA DVA. Septicemia com múltiplas lesões ósseas supurativas como complicação do eritema nodoso hansênico. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 1993 [citado 18º de julho de 2024];15(1/2):76-8. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/35505

Edição

Seção

Seção anátomo-clínica

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>