Identificação dos diagnósticos de enfermagem mais freqüente em pacientes afetados pela hanseníase

Autores

  • Sidinéia Raquel Bazalia Bassoli Enfermeira. Mestre em Ciências pela Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo.Encarregada do Setor de Clínica Médica do Instituto Lauro de Souza Lima (ILSL).
  • Heloísa Cristina Quatrini Carvalho Passos Guimarães Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Pesquisadora Científica IV. Chefe de Seção Técnica de Clínica e Terapêutica do ILSL. Bauru- SP.
  • Marcos da Cunha Lopes Virmond Doutor em Cirurgia. Pesquisador Científico VI. Diretor Técnico de Departamento do ILSL. Bauru-SP.

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.2007.v32.36303

Palavras-chave:

diagnósticos de enfermagem, classificação, processos de enfermagem, hanseníase

Resumo

O objetivo deste estudo exploratório, descritivo, retrospectivo, realizado no Instituto Lauro de Souza Lima, Bauru, SP, no período de 01/09/01 a 31/08/03, foi identificar os diagnósticos de enfermagem freqüentes em pacientes afetados pela hanseníase, baseados na Classificação de Diagnósticos de Enfermagem da North American Nursing Diagnosis Association. A amostra foi constituída de 51 prontuários nos quais foram identificados 10 diagnósticos de enfermagem, sendo eles: 100% Risco para infecção, Integridade da pele prejudicada, Risco para integridade da pele prejudicada, Risco para trauma; 98,03% Risco para solidão; 96,07% Isolamento Social e Risco para Constipação; 94,11% Dor; 90,19 % Nutrição alterada menos que as necessidades corporais e 88,23% Dentição alterada. Concluí-se que estes dez diagnósticos de enfermagem fazem parte dos padrões mínimos de assistência de enfermagem para pacientes afetados pela hanseníase. Também foram encontrados diagnósticos de enfermagem específicos, que individualizam a assistência de enfermagem a estes pacientes, e acrescentados ao impresso dos padrões mínimos. São eles: Integridade tissular prejudicada (50,00%), Mobilidade física prejudicada (33,33%), Risco para síndrome do desuso (19,04%), Déficit para o autocuidado e Proteção ineficaz (11,90%).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Opromolla DVA, ed. Noções de Hansenologia. Bauru: Centro de Estudos Dr. Reynaldo Quagliato; 2000
2. Cristofolini L. Assistência de enfermagem na hanseníase. Salusvita 1985; 4(1): 1-9.
3. Ministério da Saúde (BR). Plano de eliminação da hanseníase no Brasil. Brasília(DF); 2002.
4. Kawamoto EE. Enfermagem comunitária. São Paulo: EPU; 1995.
5. North American Nursing Diagnoses Association NANDA. Diagnóstico de enfermagem da NANDA: definições e classificação 2005-2006. Trad. Cristina Correia. Porto Alegre: Artmed; 2006.
6. Maria VLR, Martins I, Peixoto MSP. Exame Clínico de Enfermagem do Adulto. Focos de atenção psicobiológicos como subsídios para o Diagnóstico de Enfermagem. São Paulo: Iatria; 2003.
7. Maria VLR. Elaboração de diagnósticos de enfermagem do paciente coronariano em estado crítico.[tese de doutorado].São Paulo: Escola de Enfermagem da USP; 1997.
8. Barros ALBL. O trabalho do docente assistencial de enfermagem no Hospital São Paulo da UNIFESP/EPM. [tese de doutorado]. São Paulo: Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo; 1998.
9. Guimarães HCQCP, Salotti AS, Galan NG, Bassoli SRB. Nursing diagnosis in adult patients of dermatological clinic. In: NANDA, NIC, NOC 2002, Philadelphia. 2002.
10. Sampaio SAP, Rivitti EA. Dermatologia. São Paulo: Artes Médicas; 1998.
11. Hess CT. Tratamento de feridas e úlceras. 4 ed. Rio de Janeiro: Reichmann & Affonso; 2002.
12. Tiago F. Feridas: etiologia e tratamento. 2 ed. São Paulo: FAEPA; 1995.
13. Oda RM. Manual de normas, rotinas e técnicas de curativos do Instituto Lauro de Souza Lima. Bauru: Centro de estudos Dr. Reynaldo Quagliato; 2004.
14. Opromolla DVA, Cruz O. Prevenção de incapacidade física na hanseníase: técnicas simples. Bauru: Hospital Lauro de Souza Lima; 1978.
15. Cristofolini L. Aspectos da assistência de enfermagem na hanseníase: Prevenção da úlcera plantar. [dissertação de mestrado]. São Paulo: Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo; 1980.
16. Teixeira PF. Proposta de um instrumento para validação do diagnóstico de enfermagem: risco para constipação. [Monografia]. São Paulo: Curso de Residência Cardiovascular do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia; 1999.
17. Constanzo LS. Fisiologia gastrointestinal. In: Fisiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1999.
18. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Política de Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de Prevenção de Incapacidades. Brasília: Ministério da Saúde; 2001.
19. Jesus CAC, Carvalho EC. Diagnósticos de enfermagem em clientes com alterações hematológicas: uso da taxonomia I da NANDA. Rev Latino-am enfermagem out 1997; 5(4): 91-9.
20. Vieira VB, Patine FS, Paschoal VDA, Brandão VZ. Sistematização da assistência de enfermagem em um ambulatório de hanseníase: um estudo de caso. Arq Cienc saúde abr-jun 2004; 11(2): 2-9.
21. Oliveira TC, Araújo TL, Melo EM, Almeida DV. Avaliação do processo adaptativo de um idoso portador de hipertensão arterial. Rev Latino-am Enfermagem jul-ago 2002; 10(4): 530-6.
22. Bachion MM, Araújo LAO, Santana RF. Validação de conteúdo do diagnóstico de enfermagem mobilidade física prejudicada em idosos: uma contribuição. Acta Paul Enf out-dez 2002; 15(4): 67-72.
23. Araújo LAO, Santana RF, Bachion MM. Mobilidade física prejudicada em idosos: fatores relacionados e características definidoras. Rev Bras Enferm jan-fev 2002; 55(1): 19-25.
24. Aquino TP, Sanna MC. Assistência de enfermagem no pós-transplante de medula óssea na Leucemia Linfocítica Aguda na infância. Rev Paul Enf 2003; 22(1): 100-7.
25. Carpenito LJ. Diagnóstico de enfermagem: aplicação à prática clínica. Porto Alegre: Artes Médicas; 1997.
26. Galdeano LE, Rossi LA, Nobre LF, Ignacio DS. Diagnósticos de enfermagem de pacientes no período transoperatório de cirurgia. Rev Latino-am enfermagem mar-abr 2003; 11(2): 199-206.
27. Carmagnani MIS, Cunha ICKO, Behlau MS. Diagnósticos de enfermagem em pacientes submetidos a laringectomia. Rev Paul Enf jan-abr 2003; 22(1): 51-61.
28. Bassoli SRB. Identificação dos diagnósticos de enfermagem em uma clínica dermatológica. [dissertação de mestrado]. São Paulo: Programa de Pós-Graduação em Ciências, Coordenadoria de Controle de Doenças, Secretaria do Estado da Saúde de São Paulo; 2005.

Downloads

Publicado

30-11-2007

Como Citar

1.
Bassoli SRB, Guimarães HCQCP, Virmond M da CL. Identificação dos diagnósticos de enfermagem mais freqüente em pacientes afetados pela hanseníase. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 2007 [citado 25º de julho de 2024];32(2):175-84. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36303

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)