Transmissão e controle da hanseníase no município de Governador Valadares / MG - período de 1990 a 2000

Autores

  • Francisco Carlos Félix Lanai Professores Adjuntos do Departamento de Enfermagem Materno - Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da UFMG.
  • Jorge Gustavo Velásquez Meléndez Professores Adjuntos do Departamento de Enfermagem Materno - Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da UFMG.
  • Alexandre Castelo Branco Médicos da Secretaria Municipal de Saúde de Governador Valadares.
  • Simone Teixeira Professores Adjuntos do Departamento de Enfermagem Materno - Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem da UFMG.
  • Luiz Cosme Cotta Malaquias Professor do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIVALE
  • Vânia Aparecida da Costa Oliveira Bolsistas de Iniciação Científica do PIBIC/CNPq - Escola de Enfermagemda UFMG.
  • Viviane Rosados Professor do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIVALE
  • Fernanda Moura Lanza Professor do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da UNIVALE

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.2002.v27.36416

Palavras-chave:

Hanseníase, epidemiologia, transmissão, prevenção & controle

Resumo

Este estudo tem como objeto a transmissão e o controle da hanseníase em Governador Valadares, tendo em vista analisar indicadores epidemiológicos e operacionais, delimitar áreas de risco e formular estratégias para controle e eliminação da hanseníase como problema de saúde pública. Trata-se de um estudo epidemiológico de natureza descritiva, de tipo operacional. Os resultados indicam que Governador Valadares situa-se na categoria de município hiperendêmico (prevalência de 16,2/10.000 habitantes e detecção de 10,22/10.000habitantes em 2000). O aumento da detecção em menores de 15 anos contraria a descendência da detecção geral verificada no período. Dos casos novos, 14% foram detectados com alguma incapacidade, indicando diagnóstico tardio e prevalência oculta. A implantação do Programa de Saúde da Família, a partir de 1998, não alterou o quadro endêmico da doença. Concluímos que a endemia está em expansão no município. Sugerimos a intensificação das estratégias de controle através de Plano de Eliminação baseado em diretrizes políticas e epidemiológicas, tais como: construção de sustentabilidade econômica, política e social para a eliminação; descentralização das ações de controle de hanseníase através do Programa de Saúde da Famíia; busca ativa de casos; e investigação de eventos-sentinela para hanseníase em "áreas silenciosas".

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1 ANDRADE, V.L de; SABROZ, P.C.; ARAÚJO, A.J. de. Fatores assolados ao domicilio e à família na determinação da hanseníase. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.10, p.281-292, 1994. supl.2.
2 INTERNATIONAL LEPROSY ASSOCIATION. Report of the International Leprosy Association Technical Forum. Int. J. Leprosy, v70, p.14, 2002. supl.1
3 LANA, F.C.F. Políticas sanitárias em hanseníase: história social e a construção da cidadania. Ribeirão Preto, 1997. Tese (Doutor). Universidade de São Paulo. Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto.
4 LANA, F.C.F.; LIMA, R.F.; ARAÚJO, M.G.; FONSECA, P.T.S. Situação epidemiológica da hanseníase no município de Belo Horizonte/MG—Período 92/97. Hansen. Int., v.25, n.2, p.121-132, 2000.
5 LOMBARDI, C.; FERREIRA, J.; MOITA, C.P.; OLIVEIRA, M.L.W.R. Hanseníase: epidemiologia e cont role. São Paulo: IMESP/SAESP, 1990.
6 MINAS GERAIS (Estado). Secretaria de Saúde. Seminário de avaliação das ações de controle de hanseníase realizadas em Minas Gerais. Belo Horizonte, 07 e 08 de junho de 2001.
7 MINAS GERAIS (Estado). Secretaria de Saúde. Seminário de avaliação das ações de controle de hanseníase realizadas em Minas Gerais. Belo Horizonte, 17 e 18 de outubro de 2002.
8 MINAS GERAIS (Estado). Secretaria de Estado. Coordenadoria de Controle da Hanseníase. Encontros estaduais de avaliação das ações de controle da hanseníase: relatórios estatísticos do período 1993/2000. Belo Horizonte. /datilografado/
9 MINAS GERAIS (Estado). Secretaria de Estado. Coordenadoria de Controle da Hanseníase. Eliminação da hanseníase como problema de saúde pública em Minas Gerais - 1997 a 2001. Belo Horizonte, novembro de 1996.
10 OPAS/OMS. Divisão de Prevenção e Controle de Doenças Transmissíveis. Hanseníase hoje. Boletim Eliminação da Hanseníase das Américas, n.8, nov., 2000.

Downloads

Publicado

30-11-2002

Como Citar

1.
Lanai FCF, Meléndez JGV, Branco AC, Teixeira S, Malaquias LCC, Oliveira VA da C, Rosados V, Lanza FM. Transmissão e controle da hanseníase no município de Governador Valadares / MG - período de 1990 a 2000. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 2002 [citado 21º de junho de 2024];27(2):83-92. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36416

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)