Os tuberculóides reacionais

Autores

  • Diltor Vladimir Araujo OPROMOLLA Diretor da divisão de Pesquisa e Ensino do Instituto "Lauro de Souza Lima" (I.L.S.L.) - Bauru - Est. de São Paulo
  • Somei URA Pesquisador nível Ill do I.L.S.L.
  • Cassio GHIDELLA Médico Dermatologista do Centro de Saúde de Rondonópolis - Est. de Mato Grosso.

Palavras-chave:

Reações reversas, Tuberculóides reacionais

Resumo

Os autores selecionaram 20 casos entre aqueles considerados reacionais com reação tipo I generalizada, e com manifestações clínicas e histopatológicas semelhantes, e com uma reação de Mitsuda positiva, igual ou maior que 6mm. Os pacientes foram estudados do ponto de vista clinico, baciloscópico, histopatológico e evolutivo. As lesões clinicas se apresentavam como pápulas e placas eritematosas, bem delimitadas e havia pouco comprometimento neural. A baciloscopia foi negativa ou positiva fraca e a histopatologia exibia granulomas tuberculóides frouxos devido ao edema intra e extracelular e a congestão vascular. Nestes casos os surtos não se repetiram ou o fizeram somente mais uma vez.
Consideram os autores a possibilidade deles serem devidos a multiplicação bacilar. A destruição dos bacilos pelas defesas orgânicas liberariam antígenos que desencadeariam uma reação de hipersensibilidade retardada que é o surto reacional. Estes casos estão bem caracterizados e acham que é importante admitir sua existência não só pelo seu significados para um melhor conhecimento da doença como também por sua
implicação na terapêutica, visto que são casos com múltiplas lesões e paucibacilares.

Referências

1. COCHRANE, R.G. Signs and symptoms. In:____ Leprosy In theory and practive. London: John Wright & Sons, 1964 a. p.251-79.
2. COCHRANE, R.G. & SMYLY, H.J. Classification. In: COCHRANE, R.G. Leprosy In theory and practive. London: John Wright & Sons, 1964 b. p.299-309.
3. CONGRESSO INTERNACIONAL DE LEPROLOGIA, 62, Madrid, octubre, 1953. Comision de Clasificacion. Draft report of classification committee. Memorla. p.75-86.
4. INTERNATIONAL LEPROSY CONGRESS, g, Cairo, 1938. Subcommittee on classification. The classification of leprosy: Report. Int. J. Leprosy, 6(3):389-424, 1938.
5. LEIKER, D.L. Low resistance tuberculoid Ieprosy. lnt J. Leprosy, 32(4):359-67, 1964.
6. LIMA, Lauro de Souza & CAMPOS, Nelson Souza. Leprides tuberculóides reacionais. In:_____ Lepra tuberculálde. São Paulo: Renascença, 1947. p.173-215.
7. NAAFS, B. Reactions in leprosy. Biol. Mycobac., 3:359-403, 1989.
8. PFALTZGRAFF, R.E. & RAMU, G. Clinical leprosy. In: HASTINGS, R.C. Leprosy. London Churchill, 2 Ed., 1994.
9. RIDLEY, D.S. The pathogenesis and classification of polar tuberculoid leprosy. Leprosy Rev., 53(1):19-26, 1982.
10. TAJIRI, Isamu. The "acute infiltration" reaction of lepromatous leprosy. Int. J. Leprosy, 23(3):316-7, 1955.
11. WADE, H. Tuberculoid changes in leprosy II. Int. J. Leprosy, 2(3):279-91, 1934.
12. WADE, H.W. & RODRIGUEZ, J .N. Development of major tuberculoid leprosy. Int. J. Leprosy, 7(3):327-40, 1939.

Downloads

Publicado

30-11-1994

Como Citar

1.
OPROMOLLA DVA, URA S, GHIDELLA C. Os tuberculóides reacionais. Hansen. Int. [Internet]. 30º de novembro de 1994 [citado 8º de fevereiro de 2023];19(2):26-33. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/36509

Edição

Seção

Artigos originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 > >>