Negligência no diagnóstico precoce de hanseníase na atenção primária

um relato de caso

Autores

  • Matheus Castro Conrado Centro Universitário da Faculdade de Saúde, Ciências humanas e Tecnológicas do Piauí - UNINOVAFAPI https://orcid.org/0000-0001-9653-5146
  • Rayssa Dantas Nogueira Benvindo Centro Universitário da Faculdade de Saúde, Ciências humanas e Tecnológicas do Piauí - UNINOVAFAPI
  • Fábio Freitas de Sousa Passos Galvão Centro Universitário da Faculdade de Saúde, Ciências humanas e Tecnológicas do Piauí - UNINOVAFAPI
  • Marília Francisca da Silva Pereira Universidade Federal do Piauí image/svg+xml
  • Quézia Vieira da Silva Universidade Federal do Piauí image/svg+xml https://orcid.org/0000-0002-6051-3831
  • Evandra Marielly Leite Nogueira Pinheiro Centro Universitário da Faculdade de Saúde, Ciências humanas e Tecnológicas do Piauí - UNINOVAFAPI

DOI:

https://doi.org/10.47878/hi.2023.v48.39030

Palavras-chave:

Hanseníase Multibacilar, Diagnóstico Clínico, Diagnóstico Precoce

Resumo

A hanseníase é uma doença infecciosa, transmissível, de caráter crônico, com potencial grau de incapacidade, que ainda persiste como problema de saúde pública no Brasil. A demora e a falta de conhecimento técnico para realizar o diagnóstico resulta em inúmeros prejuízos aos pacientes acometidos pela doença, sendo que, a prevenção das incapacidades está relacionada diretamente com o diagnóstico precoce da doença. Com a finalidade de evitar a negligência diagnóstica e o desenvolvimento de incapacidades físicas, ressaltamos a importância do conhecimento técnico sobre o diagnóstico e o manejo da hanseníase por profissionais da saúde em qualquer nível de atenção à saúde ou especialidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

1. Organização Mundial da Saúde. Estratégia global de hanseníase 2021-2030: “Rumo à zero hanseníase”[Internet]. Nova Delhi: Organização Mundial da Saúde; 2021 [acesso 28 mar. 2022]. Disponível em: https://www.who.int/pt/publications/i/item/9789290228509.

2. Ministério da Saúde (BR). Guia prático sobre a hanseníase [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2017. [acesso 28 mar. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_pratico_hanseniase.pdf.

3. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Estratégia nacional para enfrentamento da hanseníase: 2019-2022. Brasília: Ministério da Saúde; 2021. [acesso 28 mar. 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategia_nacional_enfrentamento_hanseniase_2019.pdf.

4. Moreira TA. Panorama sobre a hanseníase: quadro atual e perspectivas. Hist. Cienc. Saúde Manguinhos, 2003 abr.;10(supl.1):291-307. doi: https://doi.org/10.1590/S0104-59702003000400014. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-59702003000400014

5. Jornal da USP [Internet].Ribeirão Preto: USP; 2019. [atualizado 7 fev. 2019; acesso 28 mar. 2022]. Falta de informação sobre a hanseníase dificulta diagnóstico; [aproximadamente 1 página]. Disponível em: https://jornal.usp.br/atualidades/falta-de-informacao-sobre-a-hanseniase-dificulta-diagnostico/#:~:text=Apesar%20da%20acessibilidade%20ao%20tratamento,-doen%C3%A7a%20e%20tempo%20de%20contato.

6. Propércio A, Oliveira F, Vale T, Bandeira D, Marinho A. O tratamento da hanseníase a partir de uma revisão integrativa. Braz. J. Hea. Rev. 12 abr. 2021;4(2):8076-101. doi: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-339. DOI: https://doi.org/10.34119/bjhrv4n2-339

7. Teixeira MAG, Silveira VM da, França ER de. Características epidemiológicas e clínicas das reações hansênicas em indivíduos paucibacilares e multibacilares, atendidos em dois centros de referência para hanseníase, na Cidade de Recife, Estado de Pernambuco. Rev Soc Bras Med Trop. 1 jun. 2010;43(3):287-92. doi: https://doi.org/10.1590/S0037-86822010000300015. DOI: https://doi.org/10.1590/S0037-86822010000300015

8. Silva GM da, Patrocinio LG, Patrocínio JA, Goulart IMB. Avaliação otorrinolaringológica na hanseníase protocolo de um centro de referência. Arq. Int. Otorrinolaringol [Internet]. 2008[acesso 28 mar. 2022];12(1):77-81. Disponível em: https://www.academia.edu/20036776/Avalia%C3%A7%-C3%A3o_Otorrinolaringol%C3%B3gica_na_Hansen%C3%ADase_Protocolo_de_um_Centro_de_Referência.

Downloads

Publicado

07-06-2023

Como Citar

1.
Conrado MC, Benvindo RDN, Galvão FF de SP, Pereira MF da S, Silva QV da, Pinheiro EMLN. Negligência no diagnóstico precoce de hanseníase na atenção primária: um relato de caso. Hansen. Int. [Internet]. 7º de junho de 2023 [citado 27º de fevereiro de 2024];48:1-6. Disponível em: https://periodicos.saude.sp.gov.br/hansenologia/article/view/39030

Edição

Seção

Relatos de casos